mar 12

TikTok vira ferramenta para documentar quarentena de coronavírus

Megan Monroe chegou na China faz 90 dias e usa aplicativo para mostrar a vida em isolamento

Quando Megan Monroe foi para Wuhan dar aulas de inglês, há três meses, não esperava que ficaria a maior parte do tempo em quarentena. Sem muitas opções, começou a documentar a vida em isolamento pelo TikTok e ganhou mais de 40 mil seguidores.

“Eu queria que as pessoas soubessem que não é amedrontador,” disse Monroe ao Buzzfeed News. “Eu sou uma pessoa de verdade que está vivendo aqui e continuando com minha vida.”

Monroe abriu a conta “@prostage” com seu supervisor e já recebeu mais de 360 mil likes na plataforma.

Os vídeos variam de atividades mundanas até momentos quase inacreditáveis da vida em quarentena. Em um deles, Monroe aparece vestindo um traje de proteção branco por todo o corpo enquanto distribui comida em centros de voluntariado. Em outro, vai até o limite da quarentena para receber remédios, do outro lado do portão, de um farmacêutico.

“Pessoas têm citado rumores sobre o céu ficar preto por conta de cremações em massa do governo para esconder mortes e mais um monte de bobagem,” disse. “Eu disse para que essas pessoas sigam meu TikTok se eles realmente quisessem saber como é.”

Monroe afirma que ficar em Wuhan, por enquanto, é melhor do que voltar para os Estados Unidos. Além de os preços de passagens aéreas terem subido de forma exorbitante (o governo americano não removeu seus cidadãos de Wuhan de graça, como o Brasil), sua família teme que haja outra quarentena esperando por Monroe no país natal.

“Isso parece meio bobo, mas logo antes de viajar, eu e meus pais celebramos um Natal antecipado e eles me deram uma pulseira escrita: ‘A vida é difícil, mas eu sou mais forte’,” diz. “Eu sei que tenho sorte e que tudo acontece por algum motivo. Estou exatamente onde preciso estar agora.”

FONTE: ÉPOCA NEGOCIOS