ago 08

As casas da Mighty Buildings são feitas em 24h com impressora 3D robótica, sem desperdício

Até agora, a construção contou com técnicas que geralmente geram grandes quantidades de resíduos. Ao adicionar material em vez de moldá-lo por meio de processos extrativos (corte, lixamento, readaptação), a impressão 3D permite projetos complexos, é mais rápida e gera 90% menos desperdício.

Graças às novas impressoras 3D extragrandes, agora é possível imprimir uma casa com uma máquina que extrusa um material, geralmente concreto/cimento ou polímero, em um processo totalmente aditivo para que haja exponencialmente menos desperdício na construção.

A empresa americana Mighty Buildings pode imprimir uma casa em apenas 24 horas em sua fábrica em Oakland, CA, usando um material compósito termofixo chamado Light Stone Material que que endurece imediatamente quando exposto à luz UV (na cabeça da impressora). O processo é rápido o suficiente para que o material suporte seu próprio peso, permitindo formas orgânicas, mas lento o suficiente para que haja coesão entre as camadas.

A empresa permaneceu no modo furtivo enquanto enfrentava os desafios regulatórios de uma tecnologia tão nova. “A realidade é que os códigos de construção estão escritos com sangue”, explica Sam Ruben, cofundador da Mighty Building , “e queremos ter certeza de que estamos realmente nos adiantando porque não queremos que a impressão 3D fique nos códigos apenas quando algo der errado.”

“Então, é por isso que nos movemos iterativamente para tornar o mais fácil possível para os funcionários da construção dizerem sim e nos permitir começar a entregar unidades enquanto continuamos a demonstrar e construir nosso portfólio.”

Para lançar casas impressas em 3D com sua abordagem iterativa, eles começaram a vender unidades com apenas uma parede curva impressa que foram dimensionadas para serem colocadas em quintais como ADUs (Unidades de Habitação Acessórias). E agora, eles começaram a vender kits de casas para que qualquer pessoa possa personalizar sua própria casa impressa.

“A ideia aqui é, em vez de entregar módulos totalmente acabados, na verdade entregamos um sistema de tela plana semelhante a um Sears Kit Home dos anos 20 e 30, mas atualizado para o século 21.” Ruben o chama de “painel SIPS em esteróides” porque, ao contrário de um painel SIPS, ele pode ser usado como um revestimento externo com um acabamento que atua como barreira de ar, água, vapor e fogo.

A Mighty Buildings não tentou imprimir tudo e, em vez disso, está seguindo sugestões da indústria de construção naval comprando seções pré-fabricadas (como banheiros) para que possam conectar para finalizar unidades rapidamente em uma escala maior. Eles também esperam que outros se interessem em colaborar e estabelecer suas próprias fábricas Mighty para imprimir mais localmente e rapidamente.

FONTE: https://www.stylourbano.com.br/as-casas-da-mighty-buildings-sao-feitas-em-24h-com-impressora-3d-robotica-sem-desperdicio/