out 05

Startup médica Theranos fecha as portas após descoberta de fraude

A startup médica Theranos está fechando as portas de vez após uma série de escândalos. Há algum tempo, a empresa alegava ser capaz de realizar uma bateria de exames médicos com apenas poucas gotas de sangue, o que depois veio a ser comprovado como fraude.

Os acionistas da startup foram notificados sobre a decisão pelo CEO David Taylor, que descreveu o quanto foi difícil tentar reerguer a empresa no decorrer dos últimos quatro meses.

O motivo do crescimento rápido da startup foi o discurso promissor de sua fundadora, Elizabeth Holmes, que vendia bem a importância de sua suposta tecnologia revolucionária. Mas, em 2016, descobriram que os resultados de seus testes eram mais inconsistentes que os tradicionais e eles passaram a ser classificados como imprecisos.

Elizabet Holmes, fundadora da Theranos (Foto: Reprodução)

A Theranos, que já foi avaliada em US$ 9 bilhões, está em dívida com o Fortress Investment Group, credor que emprestou US$ 65 milhões à empresa no ano passado. Na época, Holmes foi impedida de operar os laboratórios de testes por dois anos, o que não foi suficiente para que a empresa anunciasse uma nova forma de diagnóstico de identificação de doenças, como a Zika.

Além de não obter nenhum lucro nos anos de 2015 e 2016, a Theranos foi processada pela sua maior cliente, a rede de farmácias Walgreens. Já em março deste ano, a fundadora foi acusada pela Securities and Exchange Comission por fraudar um total de US$ 700 milhões de investidores, com falsas alegações sobre a eficácia de seus serviços.

Holmes conseguiu reverter as acusações em uma multa de US$ 500 mil, significando também o fim de sua carreira. Com o acordo, ela não poderá atuar como diretora de uma empresa pública por 10 anos.

FONTE: CANAL TECH