jan 11

CES 2019 | Por que a Royole é a empresa de tecnologia mais interessante do ano

Durante os últimos anos, o mercado de smartphones tem passado por uma certa estagnação, e todas as “inovações” apresentadas nada mais são do que incrementos em tecnologias já existentes. Já há algum tempo não temos nenhuma novidade verdadeiramente revolucionária nesse mercado. Pelo menos essa era a perspectiva antes da chegada da Royole.

A empresa relativamente desconhecida (que também é conhecida na China como Rouyu) causou um verdadeiro turbilhão no mercado de smartphones, quando não só apresentou o FlexPai, o primeiro aparelho de tela dobrável do mundo (que havia sido revelado em outubro do ano passado) durante a CES 2019, como ainda revelou que o aparelho não é apenas um conceito, mas que já está pronto para ser posto à venda — atropelando todas as principais marcas de smartphones, como a Samsung e a Xiaomi, que vinham disputando há anos sobre quem seria a primeira a colocar no mercado um dispositivo de tela flexível.

Criada em 2012 por engenheiros recém-formados da Universidade de Stanford, desde o início a empresa teve um único objetivo: desenvolver telas flexíveis para os dispositivos do futuro. E pode-se dizer que esse objetivo foi alcançado em tempo recorde: apenas dois anos depois da fundação, a empresa já havia lançado no mercado a as mais finas telas flexíveis de AMOLED full color e os menores sensores flexíveis do mundo. Em 2015, a empresa revelou o primeiro cinema 3D portátil do mundo, e no ano seguinte foi a vez do primeiro painel de um automóvel feito completamente de tela touch flexível. E, antes de surpreender o mundo com o FlexPai, a empresa já havia mostrado em 2017 que estava bem próxima de conseguir desenvolver o seu próprio smartphone dobrável quando lançou o RoWrite, um caderno digital que utiliza sensores flexíveis para capturar digitalmente em tempo real qualquer coisa que fosse escrita em papel. Assim, a empresa que começou suas operações com apenas três pessoas hoje possui 2200 funcionários espalhados por 20 países do mundo.

E agora, com o lançamento oficial do FlexPai, a Royole apresenta o melhor cartão de visitas possível para uma entrada no mercado de smartphones. Ao lançar o primeiro smartphone com tela totalmente flexível (ao contrário de alguns conceitos apresentados até hoje, que apresentavam um smartphone com duas telas distintas que utilizavam uma dobradiça), a empresa se torna a pioneira de toda uma nova era do mercado de telefonia portátil e da cultura dos smartphones.

O pioneiro FlexPai

Como é de se esperar, por ser o primeiro modelo de smartphone com tela dobrável, o FlexPai se verá obrigado a responder todas as dúvidas dos usuários sobre essa nova tecnologia. E, pelo que foi apresentado na CES de 2019, a Royole não apenas está pronta para ser a primeira a lançar um produto do tipo no mercado, como também para se tornar o padrão de qualidade para todos os lançamentos posteriores.

Utilizando um sistema operacional próprio baseado em Android, o Water OS, a tela se adapta naturalmente aos diferentes usos possíveis, podendo ser dobrada e utilizada como duas telas independentes, como uma única grande tela para assistir vídeos, ou então uma única tela que pode ser dividida em dois ambientes, como já existe nos smartphones atuais.

O aparelho também promete uma performance de ponta, e utiliza os mais potentes chips Snapdragon da série 8, anunciados pela Qualcomm há apenas alguns meses. Ele também possui um combo de câmeras de 20MP/16MP e a tecnologia Ro-Charge, que permite carregar a bateria do aparelho em tempos até 40% menores do que os carregadores padrão das outras marcas. Além disso, o aparelho também possui tudo aquilo que já esperamos de qualquer smartphone atual, como espaço de armazenamento expansível por cartão microSD, leitor de impressão digital, porta USB-C, alto-falantes de qualidade, etc.

Mas, de acordo com Kevin Kelly (fundador do site Wired e considerado por muitos como um “profeta da internet” devido às suas previsões acertadas sobre os rumos da tecnologia), o verdadeiro potencial da Royole não é o de apenas mudar o mercado de smartphones, mas sim o mundo como o conhecemos. Para Kelly, o fato de a empresa ter apresentado uma tela completamente flexível e responsiva será o primeiro passo para a criação de um mundo verdadeiramente conectado, onde todas as superfícies serão telas com as quais poderemos interagir para sabermos as últimas notícias e nos comunicarmos com o mundo, e a tecnologia da Royole tem o potencial para impactar em todos os sentidos nosso estilo de vida nos próximos anos.

Mas enquanto isso não acontece, a história da Royole é a clássica narrativa do “azarão”, aquele que quando ninguém espera ultrapassa todos os grandes favoritos e se torna o campeão da corrida. Ao apresentar a primeira tecnologia revolucionária de smartphones que não foi criada por nenhuma das grandes indústrias do ramo, a Royole coloca todos os holofotes do setor sobre si — e agora é a hora que esperamos para descobrir se ela vai tropeçar no palco ou se continuará segurando o show por si própria.

Vale lembrar que a Samsung também apresentou seu smartphone dobrável na CES (o Galaxy Fold), cujo lançamento deve acontecer já neste primeiro semestre de 2019. Então, a “briga” pelo novo mercado de smartphones dobráveis vai ser boa!

FONTE: CANAL TECH