mar 13

Brex: fintech fundada por brasileiros é reconhecida pela inovação

Quando falamos de fintechs inovadoras, é automático pensar em Nubank, Banco Inter, Warren, GuiaBolso, entre outros. Mas tem uma startup fundada por brasileiros que está fazendo sucesso nos Estados Unidos. A Brex nasceu no Vale do Silício e foi reconhecida pela revista Fast Company como uma das mais inovadoras do mundo. A lista foi divulgada no dia 10 de março.

O que a Brex faz é principalmente oferecer cartões corporativos para startups. No ranking geral de empresas feito pela Fast Company, ela ficou em 27º lugar. No entanto, comparando apenas empresas do setor de finanças, ela foi considerada a mais inovadora.

As líderes do ranking geral são a Snap (dona do app Snapchat), a Microsoft e a Tesla. Entre os critérios para essas escolhas, estão a agenda social, o trabalho a distância entre os colaboradores e a sustentabilidade.

Spotify e Apple também estão presentes na lista. Uma outra novidade, além da Brex, é a Beyond Meat, que faz carne vegetal nos Estados Unidos. Na lista da Fast Company dedicada à América Latina, estão a Magazine Luiza (pelo segundo ano consecutivo), a Amaro e a Agronow, que usa inteligência artificial para analisar áreas agrícolas. O Nubank apareceu na lista no ano passado, assim como o PagSeguro.

Para conceder o crédito para as empresas, a Brex não faz como a maioria das instituições financeiras. Em vez de avaliar o histórico financeiro dos fundadores, a startup analisa os números de vendas em tempo real e os aportes já recebidos.

Conheça mais sobre a Brex

A startup foi fundada em 2016, no Vale do Silício. Os fundadores são o paulista Henrique Dubugras e o carioca Pedro Franceschi, que também criaram a fintech Pagar.me quando ainda estavam no Ensino Médio. Em 2016, eles venderam a primeira empresa para a Stone Pagamentos e então partiram para a próxima empreitada. Hoje, a Brex tem um valor aproximado de US$ 2,6 bilhões.

A ideia de negócio veio a partir de colegas empreendedores que os dois tinham na Universidade Stanford. Eles não conseguiam crédito para suas empresas nos bancos tradicionais e daí veio a ideia de criar uma startup de crédito corporativo. Eles largaram a faculdade para se dedicar ao projeto.

A empresa começou dentro de uma aceleradora, a Y Combinator, e já atende metade das startups que estão ou já passaram por lá. O Airbnb, por exemplo, já é uma das empresas clientes da Brex.

Os clientes que pedem o cartão corporativo recebem um retorno online em minutos e o cartão chega em cerca de uma semana, com bandeira Mastercard. As contas também têm proteção antifraude 24 horas.

O cartão da Brex também oferece pontos que nunca expiram e promete limites de dez a vinte vezes mais altos que outros cartões. Além disso, permite pagar as contas em até 60 dias e emite também cartão virtual para compras na internet. Eles também contam com um cartão voltado para empresas que são financiadas por capital de risco.

Outras formas de crédito para startups

Enquanto os serviços da Brex não são oferecidos para as startups brasileiras, é preciso utilizar outras alternativas para ter um cartão de crédito corporativo. Fintechs como o Banco Inter e o Nubank já oferecem contas para pessoas jurídicas, com isenção de tarifas para vários serviços.

O caminho mais fácil para abrir conta corporativa nessas fintechs é primeiro abrir uma conta de pessoa física e depois fazer a nova solicitação. O Banco Inter oferece soluções para diversos tipos de empresa, enquanto o Nubank é mais voltado para MEIs.

Para conseguir um financiamento e tirar as ideias da startup do papel, os bancos tradicionais são uma opção, mas estão perdendo espaço para as fintechs. A Nexoos, por exemplo, é uma fintech que já auxiliou no investimento quase R$ 300 milhões para empresas. A plataforma conecta startups com investidores e já foi acelerada pela Porto Seguro.

De acordo com o site da Nexoos, a análise também é rápida e não é necessário apresentar garantia para conseguir o investimento. As taxas de juros cobradas pela plataforma ficam entre 1,14% e 4,19% ao mês.

O processo é totalmente online e a startup já auxiliou diversas empresas brasileiras a crescerem. Alguns exemplos são a Vivenda do Camarão, a Ingresso Rápido e a Café do Ponto.

Outras opções para conseguir crédito para startups são os investidores anjo (que trabalham de forma semelhante ao que ocorre no programa Shark Tank), campanhas de financiamento coletivo e inscrição da startup em editais públicos. Para conseguir o investimento, é fundamental ter um plano de negócios e validar a ideia no mercado.

FONTE: SEU CREDITO DIGITAL