nov 23

10 principais tendências tecnológicas para 2023

Saiba quais são as mudanças para as quais os líderes devem estar preparados para 2023.

Como futurista, é meu trabalho olhar para frente – então, todos os anos, abordo as tendências tecnológicas emergentes que moldarão nosso mundo digital nos próximos 12 meses.

Quais tecnologias estão ganhando mais força? Os líderes devem se preparar para quais tendências?

Leia as dez tendências tecnológicas essenciais que você deve seguir em 2023.

1. IA em todos os lugares
Em 2023, a Inteligência Artificial (IA) se tornará realidade nas organizações. A IA sem código, com suas interfaces fáceis de arrastar e soltar, permitirá que qualquer empresa aproveite seu poder para criar produtos e serviços mais inteligentes.

Já estamos vendo essa tendência no mercado varejista. A Stitch Fix usa algoritmos habilitados para IA para recomendar roupas para seus clientes que correspondam a seus tamanhos e gostos.

Compras e entregas autônomas e sem contato também serão uma grande tendência para 2023. A IA tornará mais fácil para os consumidores pagar e receber bens e serviços.

A IA também aumentará quase todos os trabalhos em todos os processos de negócios em todos os setores. Mais varejistas usarão a IA para gerenciar e automatizar os complexos processos de gerenciamento de estoque que acontecem nos bastidores, portanto, tendências de conveniência como comprar on-line e retirar na loja (BOPIS),  e comprar on-line e devolver na loja (BORIS), passarão a ser padrão.

A IA também será o motor por trás das mais novas iniciativas de entrega autônoma que os varejistas estão testando e implementando, e cada vez mais trabalhadores do varejo precisarão se acostumar a trabalhar ao lado de máquinas.

2. Partes do metaverso se tornarão reais
Não ligo muito para o termo “metaverso”, mas ele se tornou um atalho para uma internet mais imersiva, onde poderemos trabalhar, jogar e socializar em uma plataforma persistente.

Os especialistas preveem que o metaverso adicionará US$ 5 trilhões (R$ 26,54 trilhões) à economia global até 2030, e 2023 será o ano que definirá a direção do metaverso para a próxima década.

A tecnologia de realidade aumentada (AR) e realidade virtual (VR) continuará avançando. Uma área a ser observada é o ambiente de trabalho no metaverso – em 2023, prevejo que teremos ambientes de reunião mais imersivos onde podemos conversar, debater e cocriar juntos.

Na verdade, a Microsoft e a Nvidia já estão desenvolvendo plataformas de metaverso para colaboração em projetos digitais.

Também veremos uma tecnologia de avatar mais avançada no ano novo. Um avatar — a presença que projetamos quando interagimos com outros usuários no metaverso — pode parecer exatamente como no mundo real, e a captura de movimento permitirá que nossos avatares adotem nossa linguagem corporal e gestos únicos.

Também podemos ver um maior desenvolvimento em avatares autônomos habilitados para IA que podem atuar como nossos representantes no metaverso, mesmo que não estejamos conectados ao mundo digital.

As empresas já estão usando a tecnologia de metaverso como AR e VR para conduzir treinamento e integração, e essa tendência se acelerará em 2023. A gigante de consultoria Accenture já criou um ambiente de metaverso chamado Nth Floor. Este mundo virtual reproduz escritórios reais da Accenture, para que novos contratados e funcionários atuais possam realizar tarefas relacionadas a RH sem a necessidade de irem a  um escritório físico.

3. Progresso na web3
A tecnologia blockchain também avançará significativamente em 2023, à medida que as empresas criarem produtos e serviços mais descentralizados.

Por exemplo, no momento, estamos armazenando tudo na nuvem – mas se descentralizarmos o armazenamento de dados e criptografarmos esses dados usando blockchain, nossas informações não apenas estarão mais seguras, mas também teremos maneiras inovadoras de acessá-las e analisá-las.

Os tokens não fungíveis (NFTs) se tornarão mais utilizáveis ​​e práticos no novo ano. Por exemplo, ingressos NFT para shows potencialmente darão a você acesso a experiências e memorabilia nos bastidores. Os NFTs podem ser as chaves que usamos para interagir com muitos dos produtos e serviços digitais que compramos ou podem representar contratos que celebramos com outras partes.

4. Unindo o mundo digital e físico
Já estamos vendo uma ponte emergente entre os mundos digital e físico, e essa tendência continuará em 2023. Há dois componentes nessa fusão: tecnologia digital gêmea e impressão 3D.

Gêmeos digitais são simulações virtuais de processos, operações ou produtos do mundo real que podem ser usados ​​para testar novas ideias em um ambiente digital seguro. Designers e engenheiros estão usando gêmeos digitais para recriar objetos físicos dentro de mundos virtuais, para que possam testar em todas as condições concebíveis sem os altos custos dos experimentos da vida real. Em 2023, veremos ainda mais gêmeos digitais, de fábricas a máquinas, carros e assistência médica de precisão.

Depois de testar no mundo virtual, os engenheiros podem ajustar e editar componentes e criá-los no mundo real usando a tecnologia de impressão 3D.

Por exemplo, as equipes de Fórmula 1 atualmente coletam dados transmitidos por sensores durante as corridas, bem como as temperaturas da pista e as condições climáticas, para ver como os carros mudam durante as corridas. Em seguida, eles transmitem os dados dos sensores para gêmeos digitais dos motores e componentes do carro e executam cenários para fazer alterações de design em tempo real. As equipes então imprimem em 3D as peças do carro com base nos resultados de seus testes.

5. Natureza cada vez mais editável
Viveremos em um mundo onde podemos fazer alterações em materiais, plantas e até humanos editando-os. A nanotecnologia nos permitirá criar materiais com recursos completamente novos, como resistência à água e capacidade de autocura.

CRISPR-Cas9 já existe há alguns anos, mas em 2023 veremos a tecnologia de edição de genes acelerar para nos dar a capacidade crescente de “editar a natureza” alterando o DNA.

A edição de genes funciona um pouco como o processamento de texto, onde você pode retirar algumas palavras e adicionar outras – mas pode fazer isso com genes. A edição de genes pode ser usada para corrigir mutações de DNA, resolver o problema de alergias alimentares, aumentar a saúde das plantações ou até mesmo editar características humanas como a cor dos olhos e do cabelo.

6. Progresso quântico
No momento, há uma corrida mundial para desenvolver a computação quântica em escala.

A computação quântica, que usa partículas subatômicas para criar novas formas de processar e armazenar informações, é um salto tecnológico que deve nos trazer computadores capazes de operar um trilhão de vezes mais rápido do que os processadores tradicionais mais rápidos disponíveis hoje.

O perigo potencial da computação quântica é que ela pode inutilizar nossas atuais práticas de criptografia – portanto, qualquer nação que desenvolva computação quântica em escala pode quebrar a criptografia de outras nações, empresas, sistemas de segurança e muito mais. Essa é uma tendência a ser observada com atenção em 2023, à medida que países como EUA, Reino Unido, China e Rússia investem dinheiro no desenvolvimento da tecnologia de computação quântica.

7. Progresso em tecnologia verde
Um dos maiores desafios que o mundo está enfrentando agora é frear nossas emissões de carbono para que possamos enfrentar a crise climática.

Em 2023, procure progresso contínuo em torno do hidrogênio verde, uma nova fonte de energia de queima limpa que produz quase zero emissões de gases de efeito estufa. A Shell e a RWE, duas grandes empresas europeias de energia, estão criando o primeiro grande oleoduto verde a partir de usinas eólicas no Mar do Norte.

Também veremos progresso no desenvolvimento de redes elétricas descentralizadas. A geração de energia distribuída usando esse modelo fornece um sistema de pequenos geradores de energia e armazenamento localizados em comunidades ou casas individuais – para que possam fornecer energia mesmo se a rede principal não estiver disponível. No momento, nosso sistema de energia é dominado principalmente por grandes empresas de gás e energia, mas as iniciativas de energia descentralizadas têm o potencial de democratizar a energia em todo o mundo enquanto diminuem as emissões de carbono.

8. Os robôs se tornarão mais humanos
Em 2023, os robôs se tornarão ainda mais parecidos com os humanos – em aparência e capacidade. Esses tipos de robôs serão usados ​​no mundo real como recepcionistas de eventos, bartenders, concierges e acompanhantes de idosos. Eles também realizarão tarefas complexas em armazéns e fábricas enquanto trabalham ao lado de humanos na fabricação e logística.

Uma empresa está trabalhando duro para criar um robô humanoide que funcionará em nossas casas. No Tesla AI Day em setembro de 2022, Elon Musk revelou dois protótipos de robôs humanóides Optimus e disse que a empresa estaria pronta para receber pedidos nos próximos 3 a 5 anos. O robô pode realizar tarefas simples, como levantar itens e regar plantas – então talvez em breve possamos ter “mordomos robôs” que ajudam na casa.

9. Progresso no sistema autônomo
Os líderes empresariais continuarão progredindo na criação de sistemas autônomos, principalmente em entrega e logística. Muitas fábricas e armazéns já se tornaram parcial ou totalmente autônomos.

Em 2023, veremos ainda mais caminhões e navios autônomos, bem como robôs de entrega – e ainda mais armazéns e fábricas implementarão tecnologia autônoma.

A Ocado, um supermercado on-line britânico que se descreve como “o maior varejista de supermercado on-line dedicado do mundo”, usa milhares de robôs autônomos em seus armazéns altamente automatizados para classificar, levantar e mover mantimentos. O armazém também usa IA para colocar os itens mais populares ao alcance dos robôs. A empresa Ocado agora está lançando a tecnologia autônoma por trás de seus armazéns de sucesso para outros varejistas de alimentos.

10. Tecnologia mais sustentável
Por fim, veremos um impulso em direção a uma tecnologia mais sustentável em 2023. Muitos (se não a maioria) de nós somos viciados em tecnologia como nossos smartphones, tablets e computadores – mas de onde vêm os componentes para fabricar nossos gadgets favoritos? As pessoas estarão pensando mais sobre a origem dos componentes de terras raras para coisas como chips de computador e como os estamos consumindo.

Também estamos usando serviços em nuvem como Netflix e Spotify, que ainda funcionam em enormes centros de dados que consomem grandes quantidades de energia.

Em 2023, veremos um esforço contínuo para tornar as cadeias de suprimentos mais transparentes, pois os consumidores exigem que os produtos e serviços nos quais investem sejam energeticamente eficientes e apoiados por tecnologias mais sustentáveis.

FONTE: https://forbes.com.br/forbes-tech/2022/11/as-10-principais-tendencias-tecnologicas-para-2023/