dez 15

Um roteiro para modelos de negócio disruptivos

No mundo dos negócios, a digitalização tornou-se um fenômeno maciço em que os produtos tradicionais são substituídos por digitais ou, pelo menos, equipados com novos modelos de negócio disruptivos.

Tornou-se evidente, em muitos setores, que a digitalização vai muito além da melhoria de produtos, serviços e processos de produção.

Isso tem o poder de mudar fundamentalmente muitas características econômicas — em particular, os modelos de negócios. Embora seja claro que eles mudam, nem sempre é fácil entender completamente os recursos que geram a inovação.

comportamento dos consumidores está totalmente ligado à entrada da transformação digital nos modelos de negócios, e tal inovação pode proporcionar oportunidades significativas, tanto em períodos de rápido crescimento econômico como em momentos de turbulência.

O que é crítico é selecionar o tipo certo, dado o ambiente econômico e as oportunidades de mercado emergente, para abordar o conjunto de fatores internos que influenciam a capacidade da organização de prosseguir com a mudança necessária.

Pensando nisso, separamos 7 dicas para atingir o seu público adaptando ou, até mesmo, mudando completamente seu modelo de negócio! Continue a leitura!

1. Analise o negócio

O primeiro passo é identificar onde o negócio está paralisado e as oportunidades que podem resultar da mudança.

A identificação consiste na análise de uma área do mercado com potencial de crescimento em um determinado período de tempo (por exemplo, nos próximos 5 anos), de modo que suas decisões sejam direcionadas a incubar uma ideia específica, a investir em um determinado modelo de negócio ou a adquirir uma certa inicialização.

Sua análise é um filtro para oportunidades — sem ele, seu portfólio corre o risco de sair do alinhamento do seu mercado-alvo. Uma análise sólida também pode inspirar as pessoas a gerarem ideias que possam ser aproveitadas pela companhia.

Depois de uma forte análise de mercado, em vez de seguir o exemplo tradicional de terceirização, a Embraer preferiu terceirizar grande parte de sua produção e adotar um modelo de parceria de riscos com os fornecedores. A estratégia contribuiu para diminuir custos e tornar a companhia mais competitiva no mercado.

2. Compreenda o público

Para saber como o comportamento dos consumidores influencia os modelos de negócios, é preciso conhecer intimamente o seu público e compreender suas necessidades. E se as pessoas simplesmente não estiverem interessadas em seus produtos? Não culpe-as. Em vez disso, atue como um designer. Mergulhe nas suas vidas até descobrir como criar soluções que respondam às suas necessidades reais.

Será que os inventores dos primeiros telefones celulares ficaram sentados, culpando o público por não comprá-los? Em vez disso, eles estabeleceram a evolução do telefone para algo que atendesse às necessidades práticas de mais e mais pessoas.

3. Tenha cuidado com as barreiras de inovação

É preciso tomar cuidado com direcionamentos que impedem a interrupção de dentro da empresa. Algumas organizações já sedimentadas no mercado não estão orientadas a pesquisar e a descobrir novos modelos de negócios viáveis, e muito menos a oferecer espaço e tempo para novos investimentos.

Muitas vezes, um empreendedor tem que vender as novas ideias de produtos para os chefes das unidades de negócios existentes, e esses gerentes não estão motivados para fazer o que é preciso para que elas tenham sucesso.

As funções de desenvolvimento de produtos empresariais são orientadas para manter os recursos focados na execução e no crescimento dos itens e dos modelos de negócios existentes, protegendo contra a interrupção.

Os modos de pesquisa versus execução estão fundamentalmente em desacordo, de modo que o ambiente de inovação deve ser completamente separado da organização de desenvolvimento de produtos.

Quando A.G. Lafley virou presidente da Procter & Gamble, encontrou uma cultura de inovação somente interna. Lafley queria uma P&G mais capaz de cultivar ideias vindas de fora.

Depois de anos de investimento, a P&G, hoje, tem um processo moderníssimo para buscar ideias fora da empresa — o que inclui uma rede global de recursos e sites de troca de conhecimentos on-line.

4. Desenvolva novas propostas de valor

Desenvolva novos modelos de negócios para atender às preferências do cliente. A inovação do modelo de receita pode não oferecer uma vantagem tão sustentável quanto o mesmo procedimento nos segmentos industrial ou empresarial.

Mas, em tempos de turbulência econômica, as novas preferências dos clientes e os padrões de gastos são um impulso significativo para mudar o modelo de preços e as propostas de valor.

Os fatores internos impulsionam a inovação do modelo de negócios, e mudanças internamente conduzidas — como inovações de produtos ou serviços — também criam a necessidade de novos modelos de negócios.

Kodak, por exemplo, grande líder no mercado de câmeras fotográficas, com o surgimento das câmeras digitais, demorou para encarar o desafio, vindo a declarar falência em 2013.

5. Não se assuste com as propostas que surgirem

E se as inovações que surgirem canibalizarem o negócio principal? Primeiro, considere que a inovação disruptiva não começa como uma competição para um mercado existente.

Elas tendem a começar com um novo mercado ignorado ou inexistente. As empresas não devem esperar até que ele se torne mais desenvolvido para iniciar o andamento de uma nova solução.

Em segundo lugar, e mais importante, nenhuma companhia sobrevive em longo prazo sem se reinventar. Se não interromper seu próprio negócio, outra empresa o fará, eventualmente. É necessário estar aberto para se interromper antes que a competição o faça.

Por exemplo, o desenvolvimento de uma tecnologia de café instantâneo desenvolvida pela Nestlé provocou a necessidade de um modelo de negócios completamente novo. Na verdade, estimulou a criação de uma empresa separada na década de 1980 — a Nespresso — com um produto de café único voltado para o mercado de consumo de alta qualidade.

6. Aproveite as capacidades básicas para criar valor para o cliente

Muitos inovadores bem-sucedidos do modelo de negócios aproveitam recursos e capacidades de maneiras novas e únicas. Eles compreendem como os elementos de inovação do modelo empresarial se relacionam e, a partir disso, criam valor para adaptar ou mudar seu modelo de negócios.

Praticamente todos os modelos de negócios bem-sucedidos demonstram alinhamento e capacidade de trabalhar com um grande número de parceiros de colaboração.

A inovação bem-sucedida do modelo empresarial leva vantagem em ativos e recursos de alto valor existentes dentro da organização, como habilidades únicas, talentos, processos ou tecnologia.

A Apple, por exemplo, explorou a capacidade de projetar experiências de usuário efetivamente e aplicá-las à indústria da música ao programar e iniciar o iPod.

7. Use informações estrategicamente para criar previsões futuras

Os inovadores bem-sucedidos do modelo empresarial demonstram uma compreensão particularmente aguda de seus clientes e do valor que sua empresa pode oferecer para um novo segmento, por meio de um novo mecanismo de entrega, ou de um novo produto.

Cada vez mais, a compreensão dos clientes, dos mercados, dos canais e dos concorrentes baseia-se em análises sofisticadas que fornecem a informação necessária para criar vantagem de maneiras novas e únicas.

Spotify e a Netflix, por exemplo, ouviram a necessidade dos consumidores e mostraram que não é preciso esperar para usar o que oferecem. Se o cliente quer escutar uma música ou assistir um filme, as plataformas estão ali, ao seu dispor.

A prospectiva é fundamental para que as organizações compreendam novas oportunidades e o impacto potencial de novas tecnologias, segmentos de clientes emergentes ou um novo conjunto de recursos de produtos ou serviços.

Assim, a capacidade de entender melhor possíveis cenários futuros por meio de novos modelos é, agora, mais importante do que nunca, pois as organizações precisam operar e tomar decisões em um mercado cada vez mais competitivo e inovador.

Para saber mais sobre modelos de negócio disruptivos, confira nosso artigo sobre os novos modelos de negócios que estão mudando a forma que compramos e vendemos.

FONTE: TD por Eduardo Wolkan