maio 28

Seis momentos e detalhes curiosos na tentativa de lançamento da SpaceX

Recados em placas, autógrafos, caronas e até mesmo “Garota de Ipanema”. Saiba mais sobre alguns detalhes que percebemos durante a tentativa de lançamento da primeira missão tripulada da SpaceX

O clima não ajudou e a SpaceX não conseguiu lançar sua primeira missão tripulada, a Demo-2, nesta quarta-feira (27) como esperado. Mas quem assistiu às quase 5 horas de transmissão até o momento do lançamento ser cancelado conseguiu acompanhar em detalhes os preparativos para uma viagem espacial, e talvez até notar alguns detalhes e momentos curiosos. Separamos alguns deles para vocês.

O café da manhã

Por algum motivo os norte-americanos tem uma faascinação por saber o que os astronautas comeram no café da manhã antes de uma missão histórica. E aqui há uma tradição: bife e ovos, que foi o que Alan Shepard comeu antes do primeiro vôo espacial norte-americano, em 5 de maio de 1961.

Nem todos os astronautas seguem esta tradição. Há quem prefira algo mais leve, e até mesmo quem tome apenas uma xícara de café com receio de passar mal durante o lançamento. Divulgar o cardápio dos astronautas da Demo-2 era algo que não estava nos planos da Nasa, mas Doug Hurley recorreu ao Twitter para resolver a questão por conta própria: bife e ovos, como Shepard.

A carona até a plataforma

Como divulgado anteriormente, Hurley e Behnken foram até a plataforma de lançamento 39A a bordo de dois Tesla Model X brancos, decorados com o atual logo da nasa (o círculo com fundo azul apelidado de “almôndega”) e o clássico logo vermelho usado entre 75 e 92, apelidado de “worm” (verme). Mas o que poucos notaram foi a placa dos Tesla: ISSBND. Uma abreviação de “ISS Bound”, ou “Rumo à ISS”.

A trilha sonora

O trajeto entre a sala onde os astronautas vestem seus trajes espaciais e a plataforma de lançamento leva cerca de 20 minutos. E o que os astronautas ouviram nesse tempo? Segundo comentário durante a transmissão do evento feita pela SpaceX, a playlist continha “Back in Black”, do AC/DC, Garota de Ipanema, de Tom Jobim, e o Hino Nacional Norte-Americano.

Nos EUA, Garota de Ipanema é conhecida como “música de elevador” por causa de uma cena do filme “Os Irmãos Cara de Pau”, e foi escolhida como referência à espera de cerca de duas horas que os astronautas teriam sentados dentro da cápsula, antes da decolagem.

Um autógrafo

Na ponta do “braço” de acesso à cápsula, no topo da torre de lançamento, há uma pequena sala onde os astronautas fazem os últimos preparativos antes de entrar na cápsula, e onde ficam os técnicos que irão fechar a escotilha, fazer os testes contra vazamentos de ar e checar as últimas conexões. Ela é chamada de “sala branca”, simplesmente porque é pintada de branco.

Ali, Hurley e Behnken começaram uma nova tradição. Receberam um marcador preto e autografaram a parede da sala, ritual que foi registrado pelas câmeras da Nasa. Ainda não se sabe o que escreveram.

Um “carona” na cápsula

A Crew Dragon tem espaço para quatro tripulantes, mas oficialmente carregaria apenas dois astronautas no lançamento de ontem. Digo “oficialmente” porque quem prestou bastante atenção às imagens de dentro da cápsula deve ter notado “algo” no assento à direita de Bob Behnken: um bicho de pelúcia, que parecia ser um dinossauro ou dragão. Talvez uma mascote?

É comum astronautas levarem junto consigo pequenos itens para “dar sorte”, ou lembranças de sua família, e tanto Behnken quanto Hurley são pais de crianças pequenas, o que pode explicar o carona. Às vezes estes objetos tem uma outra função mais prática: indicar aos astronautas que eles estão em gravidade zero, assim que começam a flutuar.

Visita do presidente

A Nasa pediu a público que acompanhasse o lançamento de casa, evitando aglomerações, e que até mesmo as equipes de imprensa reduzissem a quantidade de profissionais e mantivessem dois metros de distância entre os jornalistas e entrevistados. Mas dois convidados especiais fizeram questão de estar presentes: o presidente norte-ameriano, Donald Trump, e seu vice-presidente, Mike Pence.

Eles chegaram a bordo do avião presidencial, o Air Force One. E antes de pousar na base aérea de Cabo Canaveral o avião “deu uma voltinha” próximo à torre de lançamento, para que seus passageiros pudessem observar o foguete de um ângulo privilegiado.

FONTE: olhardigital.com.br