abr 01

Remuneração de operações via Pix aos bancos é adiada pelo BC; prejuízo será de R$ 2 milhões por dia

A greve de servidores do Banco Central (BC) fez o órgão adiar o pagamento de recursos que ficam armazenados em contas PI (contas de pagamentos instantâneos) aos bancos. O que inclui valores relacionados às transações feitas por Pix, o meio de pagamento que segue batendo recordes entre os brasileiros.

A expectativa do BC era começar a efetuar os pagamentos já nesta quinta-feira, 31 de março.

Imagem mostra logo do Banco Central do Brasil, o Bacen
Decisão foi tomada pelo BC para preservar a segurança dos sistemas financeiros e a manutenção de atividades essenciais. Imagem: Jo Galvao/Shutterstock

Vale lembrar que os servidores do BC vão entrar em greve a partir do dia primeiro de abril após um período de paralisação parcial que começou na quarta-feira (29), o que, segundo Bruno Serra, diretor de Política Monetária do Banco Central, “prejudica o desempenho de vários processos”.

O diretor acrescenta que a decisão foi tomada para preservar a segurança dos sistemas financeiros e a manutenção de outras atividades consideradas essenciais.

Uma nova data de pagamento será proposta quando as questões apontadas pelos servidores estiverem resolvidas, finaliza Serra.

O que são contas PI?

Henrique Seganfredo, presidente da ANBCB (Associação Nacional dos Analistas do Banco Central do Brasil), explica que a conta PI “é uma conta reserva existente entre o BC e os bancos”. Basicamente, são contas mantidas pelos próprios bancos no BC que recebem lançamentos por transações financeiras.

“Pelo motivo de os bancos deixaram dinheiro ‘dormindo’ no BC por ciclos de 1 a 2 dias, sempre houve demanda de alguma taxa sobre isso, como um depósito remunerado”, disse o presidente da associação.

Até então, ficou estabelecido no início de março que a remuneração às instituições financeiras pelos recursos que ficam nessas contas seriam realizados diariamente após o horário comercial.

 O adiamento vai gerar prejuízos diários aos bancos na casa dos R$ 2 milhões, estima a ANBCB.

Pix é a maior modalidade de pagamentos do país

O Pix alcançou um marco importante desde que foi implementada no fim de 2020. O sistema de pagamentos instantâneos do BC se tornou o método de pagamento mais popular do Brasil, superando o número de transações feitas com cartões de crédito e de débito no último trimestre de 2021, segundo um levantamento do BC.

FONTE: https://olhardigital.com.br/2022/03/31/pro/remuneracao-operacoes-pix-bancos-adiada-bc/