fev 14

Projeto do Google usa impressoras 3D para recriar artefatos antigos

Sempre quis conhecer monumentos históricos? Então conheça o projeto do Google que os imprime em 3D

As impressoras 3D sempre tiveram um apelo bastante forte: criar objetos extraordinários, que seria difícil ou impossível de obter por métodos tradicionais. Apesar disso, um novo projeto que uniu o Google à Stratasys (uma fabricante de impressoras 3D industriais) tem buscado recriar itens que já são conhecidos.

O projeto do Google Arts and Culture se chama Open Heritage e começou com o escaneamento de itens, em parceria com a CyArk, em abril de 2018. Agora, ele busca produzir peças táteis a partir dos dados obtidos.

Para isso, a equipe usa a J750 3D, da Stratasys, uma impressora colorida prototipadora, para criar réplicas de modelos de objetos, construções e monumentos antigos. A ideia do projeto é que frequentadores de museus e pesquisadores tenham acesso a criações raras ou únicas, bem como garantir que essas estruturas sejam preservadas de possíveis estragos provocados pela ação do tempo.

Segundo Bryan Allen, designer de tecnologia do Google, a ideia do projeto é explorar fisicamente esses itens na tentativa de fazer as pessoas ficarem mais empolgadas e interessadas em ver peças expostas em um museu ou no contexto de um projeto de pesquisa.

Allen explica que foi aí que surgiu a ideia de usar a impressão 3D. Esses equipamentos estão cada vez mais sofisticados e é possível obter objetos com cores melhores, finalização de alto padrão de qualidade e até propriedades mecânicas mais robustas. Dessa forma, os protótipos produzidos que saem das máquinas são muito mais realistas e o produto final sai pronto diretamente da máquina.

A decisão de mapear tudo em cores e de forma a capturar todos os detalhes foi fundamental para a recriação dos objetos em 3D. Para isso, as equipes participantes usaram scanners 3D para criar um desenho das peças em CAD.

Open Heritage tem, atualmente, 26 renders em 3D de lugares com importante significado histórico dos seis continentes. O catálogo com toda a coleção pode ser visto gratuitamente no endereço do projeto na nuvem. Além disso, quem se interessar por ter um dos itens em casa pode imprimi-los se tiver uma impressora 3D.

FONTE: OLHAR DIGITAL