out 22

Inteligência Artificial para e-commerce: 5 dicas de como usar os dados para aumentar as conversões

A inteligência Artificial está mudando a forma de fazer negócios pela internet. A enorme disponibilidade de dados permite que as lojas virtuais criem melhores experiências de compra, aumentem a satisfação dos usuários e gerem mais vendas.

Por isso, cada vez mais as empresas estão investindo em soluções para armazenar, processar e extrair valor de dados. Por meio do machine learning é possível potencializar ainda mais o poder dessas análises e transformá-las em inteligência para o negócio. Afinal, eles carregam informações valiosas sobre os consumidores e o mercado e podem ajudar a colher os melhores resultados.

Temos acesso a uma infinidade de referências. Porém, elas só representam valor para o negócio quando são usadas estrategicamente para guiar o futuro da empresa e gerar mais resultados. Para que o big data tenha o efeito de converter vendas no e-commerce, oriento seguir esses cinco passos:

Conhecer melhor a persona – Cada clique, cada curtida, cada página visitada… todos os passos dos consumidores podem ser monitorados na web. O papel dos softwares de análise de dados é reunir e organizar as informações para transformá-las em inteligência.
Prever tendências e demandas do mercado – Antes de investir todo o dinheiro no desenvolvimento de um novo produto, é preciso saber se o público realmente vai gostar dele. E a inteligência de dados ajuda a fazer previsões como essa.

Melhorar o atendimento ao consumidor – Com o big data, o serviço de atendimento ao consumidor (SAC) deixa de ser apenas um setor para responder reclamações de clientes por e-mail ou telefone. A análise de dados sobre os consumidores permite agir ativamente para entregar soluções personalizadas, de acordo com o histórico de interações e as preferências de cada cliente.

Diminuir o abandono de carrinho – O processo de checkout é um ponto sensível para todo e-commerce. É preciso identificar qualquer motivo que esteja causando o abandono de carrinho. O big data ajuda a perceber padrões de comportamentos dos usuários, identificando possíveis erros no site ou outros problemas (como o preço do frete), além de coletar dados dos clientes, que depois podem ser impactados pelo remarketing.

Personalizar a experiência de compra – O big data também permite que cada consumidor acesse uma loja virtual exclusiva para ele. Se as empresas estão munidas de informações dos clientes, elas podem criar sites dinâmicos que se adaptam aos interesses e hábitos de cada pessoa.

Grandes companhias, como Google, Facebook, IBM e Microsoft, já perceberam o poder dos dados e estão investindo cada vez mais para extrair valor dessas informações. Porém, assim como o big data, inteligência artificial e machine learning são ferramentas acessíveis a todo tipo e tamanho de e-commerce. São tecnologias que auxiliam nas decisões estratégicas, gerando ainda mais conversões para o negócio.

FONTE: E-COMMERCE NEWS