maio 22

Amazon investe em duas edtechs e quer trazer Alexa para o setor de educação

Unruly Studios e Zoobean receberam o aporte do fundo de capital de risco da Alexa, a assistente pessoal da Amazon

Amazon investiu em duas startups de educação: Unruly Studios e Zoobean. O aporte foi realizado através do Alexa Fund, fundo de capital de risco da Alexa, assistente de voz da varejista.

 O objetivo é que as startups integrem suas soluções à Alexa, que possui um dispositivo exclusivo e focado para crianças. A Unruly Studios permite que as crianças criem os próprios jogos, que aprendem programação com a ajuda de um tablet. A empresa também conta com um “Splats” – dispositivo físico com luz que responde aos comandos programados. Confira:
A Unruly Studios havia sido acelerada pela divisão da Alexa no ano passado. Agora, a empresa recebeu um investimento semente no valor de US$ 1,8 milhão. O valor exclusivo aportado pela Amazon não foi informado.

O aporte na Zoobean

Já a Zoobean possui o Beanstack, aplicativo que incentiva pais e filhos a lerem todos os dias. O Beanstack permite que educadores coloquem desafios de leituras aos alunos, utilizando a gamificação para incentivá-los a ganhar prêmios.

A startup estava estudando criar um produto para competir com a Alexa quando Mark Cuban, que investiu na empresa através do Shark Tank, sugeriu que criassem produtos diretamente para a assistente pessoal. Felix Lloyd conta que a sugestão causou estranhamento, já que seus filhos nunca haviam tido contato com a Alexa – ao contrário dos de Max.

Então, os fundadores da startup – o casal Felix e Jordan Lloyd – introduziram a Alexa na rotina das crianças e viram uma grande receptividade. Eles decidiram usar a assistente de voz como uma forma de simplificar o acesso e, portanto, aumentar a usabilidade do aplicativo.

A iniciativa foi aprovada pela própria Amazon, que participou da rodada de investimento. Além do Alexa Fund, o aporte contou com o capital de Mark Cuban, EAI Technologies, Jo e Elizabeth Tango, entre outros. O valor da rodada não foi informado.

“Não há futuro que não possua computação ambiente ou ativação por voz”, disse o investidor Mark Cuban, algo que passou a ser apoiado pela Beanstack. “Nós acreditamos que a leitura é fundamental para quem nós somos e o que fazemos – passado, presente e futuro. Então, estamos animados com a parceria com o Alexa Fund. Fiquem ligados para o próximo capítulo”, escreveu Felix Lloyd no anúncio do aporte.