jan 26

Youtube: aumentar a renda dos criadores de conteúdo é o principal objetivo

A CEO do YouTube, Susan Wojcicki, publicou no blog do serviço uma carta onde fala sobre como ele ajudou as pessoas a superar o difícil ano de 2020 e sobre as estratégias e objetivos que serão seguidos em 2021. O principal deles: aumentar a renda dos criadores de conteúdo.

Relembrando o ano que passou, a executiva afirma que: “uma enorme quantidade de espectadores visitou nossa plataforma para aprender novas habilidades, encontrar informações precisas sobre a COVID-19 e reconstruir comunidades online”, e artistas transformaram seus canais em palcos virtuais.

O tempo de exibição aumentou em 25% no mundo todo, e o número de transmissões ao vivo diárias aumentou em 45%. Meio milhão de canais fizeram transmissões ao vivo pela primeira vez em 2020, e foram responsáveis por mais de 10 milhões de transmissões ao vivo na plataforma. Wojcicki cita um show feito na garagem de casa da dupla Jorge e Matheus, que foi visto mais de 40 milhões de vezes.

Para 2021, os objetivos da plataforma são “aumentar a receita do criador de conteúdo, cumprir nossas responsabilidades, ajudar as pessoas a aprender novas habilidades e construir o YouTube do futuro. Também temos o compromisso de trabalhar com governos de todo o mundo à medida que enfrentamos questões regulamentares cada vez mais complicadas”.

Para os criadores de conteúdo, a executiva promete mais transparência nas políticas, mais estratégias de incentivo ao sucesso e novas formas de geração de renda para os canais, citando como exemplo recursos adicionais criados no passado. Segundo Wojcicki, “ano passado, o número de canais gerando grande parte da receita pelo Super Chat, Super Stickers ou Clube de Canais no YouTube triplicou”.

Responsabilidade com a sociedade

Ela lembra que o YouTube tem a responsabilidade “de remover o conteúdo que os especialistas dizem que pode levar a danos no mundo real, recomendar conteúdo confiável, reduzir as visualizações de conteúdos duvidosos e recompensar os criadores que atendem aos nossos requisitos rígidos para monetização”.

Lembrando do trabalho para “ajudar a conectar as pessoas a informações confiáveis sobre a COVID-19”, ela afirma que o foco atual é a vacinação: “Em outubro, aumentamos nossos esforços para remover conteúdo que inclua afirmações sobre as vacinas para a COVID-19 que sejam contrárias ao consenso de especialistas de autoridades locais de saúde. Também adicionamos um alerta apontando para fontes confiáveis na nossa página inicial e nos vídeos e pesquisas sobre vacinas”, diz.

“Também vamos ampliar nossos esforços para tornar as informações sobre saúde mais acessíveis e compreensíveis e, assim, melhorar a saúde dos usuários em todo o mundo. Trabalharemos para ajudar a fazer uma ponte entre o sistema de saúde e as pessoas que buscam informações sobre saúde, além de manter os médicos no centro da administração da saúde”, promete.

A executiva também destaca os “esforços para garantir que todos os criadores de conteúdo possam prosperar na nossa plataforma, especialmente a comunidade negra”. Um deles é um novo filtro no YouTube Studio para comentários potencialmente nocivos que foram retidos automaticamente para análise. Dessa forma, os criadores de conteúdo têm a opção de não ler esses comentários.

Incentivo ao aprendizado

Wojcicki também relata a importância do YouTube como ferramenta de aprendizado, citando um estudo da Ipsos que mostra que 77% dos entrevistados informaram ter usado o YouTube durante 2020 para aprender uma nova habilidade. Ela se inclui entre eles: “no ano passado, eu usei o YouTube para aprender como cortar cabelo, consertar minha geladeira, fazer mais ioga, pesquisar sobre Bitcoin e ajudar com o dever de casa de Física”.

YouTube quer duplicar o número de usuários que procuram conteúdo educacional em sua plataforma

“Estamos definindo uma nova meta: duplicar o número de usuários que interagem com conteúdo educacional no YouTube. Queremos ajudar mais pessoas […] a se conectarem com vídeos que os colocarão em um caminho de satisfação pessoal e oportunidades econômicas”, afirma.

O YouTube do futuro

Entre as iniciativas para o futuro, a executiva destaca novas ferramentas para criação e produção de conteúdo em dispositivos móveis, citando como exemplo o YouTube Shorts, que está em beta na Índia e já tem 3,5 bilhões de visualizações diariamente.

 Também menciona um novo programa Beta com um grupo de criadores de conteúdo de beleza e equipamentos eletrônicos para ajudar as pessoas a descobrir e comprar os produtos que elas veem nos vídeos. Segundo ela, citando novamente o estudo do Ipsos, 70% das pessoas entrevistadas disseram que compram de uma marca após terem assistido sobre ela no YouTube.

A sala de estar não foi esquecida: a empresa trabalha para “melhorar a aparência e o desempenho do app Living Room. E estamos possibilitando que os anunciantes alcancem mais consumidores e com mais facilidade onde eles estiverem assistindo. Continuaremos oferecendo o YouTube a mais aparelhos de TV e tornaremos a navegação por voz ainda melhor, tudo isso para oferecer aos espectadores a experiência que eles desejam cada vez mais”.

O panorama regulamentar

Wojcicki termina mencionando os desafios impostos por legislação, em vigor ou proposta, em vários territórios. “Nos beneficiamos de parcerias com governos em questões importantes, como evitar o extremismo violento e operações coordenadas de influência na nossa plataforma”.

“Ano passado, essas parcerias foram incrivelmente úteis, porque trabalhamos juntos para ajudar a fornecer às pessoas informações precisas durante a pandemia. E iremos manter a parceria com os legisladores em questões que impactam nossos negócios e a força de trabalho, como imigração, educação, infraestrutura e cuidados com a saúde”, afirma.

Dias melhores

A carta termina com uma esperança de dias melhores: “Todos esperamos dias melhores pela frente. Não importa o que 2021 traga, o trabalho de criadores e artistas no YouTube ajudará a construir comunidades e dará a todos nós um motivo para olharmos para o futuro. Obrigado por tudo que você faz”, diz a executiva.

FONTE: https://olhardigital.com.br/2021/01/26/noticias/aumentar-a-renda-dos-criadores-de-conteudo-e-o-principal-objetivo-do-youtube/