maio 07

xarvio traz soluções de gestão e inteligência artificial para agricultores

Aquisição recente da multinacional BASF identifica ervas daninhas e doenças automaticamente, e gera um mapa inteligente para o produtor rural

Inovações tecnológicas não estão restritas ao contexto urbano. Elas também impactam a vida dos trabalhadores rurais e tornam o agronegócio mais produtivo. Durante a Agrishow, maior feira agrícola da América Latina, que aconteceu entre os dias 29 de abril e 3 de maio em Ribeirão Preto (SP), a BASFapresentou soluções da plataforma xarvio, que aplica inteligência artificial na agricultura.

A BASF, empresa que é líder global em indústria química, adquiriu a xarvio no fim de 2018 para sua divisão de agricultura digital. Segundo Almir Araújo, head de agricultura digital da empresa na América Latina, a aquisição possibilitou a criação de novos produtos cujas soluções são inéditas no agronegócio. “O objetivo é ajudar o produtor a tomar as decisões corretas nos momentos corretos, otimizando e aumentando sua produtividade”, afirma.

Três soluções em diferentes estágios de evolução foram apresentadas no Agrishow. “Alguns dos produtos estão em nosso laboratório de pesquisa e desenvolvimento e outros sendo testados com alguns dos nossos clientes, dos quais estamos recebendo feedbacks muito interessantes”, explica Almir. A BASF investe mundialmente quase R$ 4 bilhões anuais em sua divisão de agricultura.

Field Manager

O Field Manager é uma solução em que o agricultor conta com uma equipe operacional da xarvio para auxiliar na gestão de sua fazenda. Neste momento de testes, ela está restrita, no Brasil, ao cultivo de soja e milho.

O primeiro passo é, com um drone, realizar a fotografia aérea da área de plantio. A partir das imagens, o algoritmo do Field Manager reconhece ervas daninhas em meio às plantas desejadas pelo agricultor. Então, a ferramenta gera, automaticamente, quatro mapas.

O mais simples é uma “colagem” das imagens tiradas pelo drone, apresentando uma visão do alto do talhão do produtor. O segundo mapa é o de infestação, que mostra onde estão as ervas daninhas na plantação. O terceiro é chamado de “mapa de pressão”, que indica em que áreas há maior concentração de ervas daninhas. O último e mais importante para o agricultor é o mapa de aplicação: este informa precisamente quais e quanto de cada herbicida deve ser aplicado em cada local da plantação. O mapa de aplicação deve ser exportado e colocado no pulverizador, máquina agrícola controlada por GPS que vai aplicar o produto no cultivo.

Scouting é um aplicativo gratuito, dentro da plataforma xarvio, que usa reconhecimento de imagens para identificar ervas daninhas, doenças de plantas e insetos – este último ainda em desenvolvimento no Brasil. Basta o usuário abrir a câmera do aplicativo e fotografar o objeto a ser identificado.

Para acessar à base de dados e encontrar a erva daninha ou doença correspondente, o serviço precisa de conexão à internet. Entretanto, como em muitas áreas rurais não há acesso à rede, o aplicativo permite que o agricultor salve as fotos offline e, quando chegar em uma área com internet, identifique as espécies.

O Scouting tem também a função “radar”, que coleta as informações de fazendas próximas para indicar quais são as principais ervas daninhas e doenças a que um agricultor está sujeito em sua região. Atualmente, o aplicativo reconhece 120 plantas daninhas, cobre doenças de 42 cultivos e todas as fotos coletadas servem para melhorar a capacidade do algoritmo com machine learning.

Smart Sprayer

Smart Sprayer é uma solução em fase de desenvolvimento, que tem expectativa de chegar ao mercado do agronegócio a partir de 2021. Realizado em parceria com a Bosch, que é especializada na parte de hardware, o produto será integrado a um pulverizador para tornar mais inteligente a aplicação de herbicidas.

Uma câmera associada a um algoritmo de inteligência artificial fica na frente da máquina e identifica ervas daninhas em meio ao cultivo. A informação é rapidamente enviada ao sistema que utiliza quatro tubos diferentes para, na hora, gerar a proporção ideal entre água e até três tipos de herbicidas, destinados às variadas espécies de plantas daninhas que podem ser encontradas no cultivo.

FONTE: StartSe