maio 15

Walmart anuncia “contratação” de 1.800 robôs em suas lojas

No total, varejista vai implantar 3.900 produtos que auxiliam em atividades como limpar o chão, controlar o nível de abastecimento de prateleiras e descarregar produtos

Como parte de sua estratégia para competir com o online, liderado pela Amazon, o Walmart anunciou nesta terça-feira (09) que vai expandir a utilização de equipamentos automatizados em suas lojas nos Estados Unidos. As máquinas vão de totens para retirada de produtos comprados no e-commerce até robôs que limpam o chão. No ano passado, o Walmart gastou US $ 11 bilhões em tecnologia, tornando-se o terceiro maior gasto do mundo, depois da Amazon e da Alphabet, mãe do Google.

A varejista disse que vai implantar 1.500 zeladores autônomos, 300 scanners inteligentes, 1.200 máquinas que auxiliam na descarga de produtos e 900 totens de retirada. O Walmart não especificou quando todos os equipamentos serão instalados.

Entenda a função de cada equipamento:

Auto-C

O zelador autônomo desenvolvido pela Brain Corp pode ser programado para limpar e polir o piso depois que um funcionário prepara o caminho que a máquina irá percorrer. Em dezembro do ano passado, o Walmart anunciou o uso da tecnologia e disse que o plano era implantar o robô em 360 lojas em 2019. Agora, a varejista diz que vai colocar 1.500 máquinas do tipo, mas não estabeleceu um prazo para que isso aconteça.

Crédito: Divulgação

Auto-S

Os scanners de prateleira começaram a ser testados em 2017, quando o Walmart colocou 50 robôs em operação. Agora, mais 300 vão circular pelos corredores para verificar o estoque e os preços dos produtos. As máquinas ficam em uma estação de carregamento até receber uma tarefa de um funcionário, como verificar os níveis de estoque e indicar o que precisa ser reposto, identificar e encontrar itens perdidos ou localizar rótulos incorretos

Crédito: Divulgação

Fast Unloader

Essas máquinas são capazes de descarregar um caminhão de mercadorias usando uma correia e classificam os itens automaticamente, separando-os por departamento. No ano passado, o Walmart disse que operava com 30 descarregadores e implantaria 10 por semana. A promessa agora é adicionar 1.200 às lojas dos Estados Unidos.

Crédito: Divulgação

Pickup Towers

Elas existem desde 2017, quando chegaram a 200 lojas. Hoje, 700 já estão em operação. A máquina funciona como um locker, que armazena os produtos que os consumidores compraram online. Os preços praticados para produtos retirados no equipamento são menores, além da eliminação do custo do frete.

Crédito: Divulgação

E os empregos? 

Uma das preocupações acerca do movimento do Walmart é a substituição de pessoas por máquinas. Em um comunicado à imprensa, porém, o Walmart afirma que a automação vem para agilizar o trabalho dos humanos. “Assistentes inteligentes têm um grande potencial para fazer as lojas agitadas funcionarem com mais tranquilidade”, afirma a companhia.

maior varejista do mundo disse que as novas tecnologias “diminuem o tempo que os colaboradores gastam em tarefas repetitivas como limpar o chão ou checar o abastecimento de prateleiras e dão aos funcionários a oportunidade de fazer o que as máquinas não podem: atender o consumidor cara a cara na loja”.

Em resumo: o Walmart se justifica dizendo que a tecnologia está automatizando apenas algumas tarefas que fazem parte da rotina de um cargo, e não todas as funções de um colaborador.

FONTE: NOVAREJO