out 23

Visa amplia programa de fast-track para fintechs da América Latina e Caribe

Com o programa, fintechs conseguirão se integrar mais rapidamente à VisaNet, a rede global da operadora de cartões de crédito

Visa anunciou nesta segunda-feira (08) um programa de fast-track para ajudar fintechs da América Latina e Caribe a continuar impulsionando o ecossistema da região. Com isso, diz a companhia, essas fintechs conseguirão se integrar mais rapidamente à VisaNet, a rede global da operadora de cartões de crédito. O programa vai agilizar a integração a partir de dezembro de 2018, possibilitando que as startups da região acessem as capacidades disponíveis na VisaNet para alavancar seus negócios, informou a companhia por comunicado.

A empresa também anunciou que está comprometida em fazer investimentos no mundo todo em fintechs que considerar atraentes, o que inclui as que atuam no crescente ecossistema da América Latina e Caribe. Os recursos chegarão ainda aos programas de aceleração e à plataforma de engajamento, com foco em investimentos diretos ajudando os parceiros da Visa a desenvolver um ecossistema de pagamento mais amplo na região.

“O novo programa vai permitir que as fintechs comecem a trabalhar conosco em um tempo significativamente menor. Ao mesmo tempo, estamos empolgados, pois nosso programa de investimento global pode ter um papel importante no fortalecimento da crescente comunidade fintech e na aceleração das tecnologias de pagamento da região. Isso tudo cria uma oportunidade para que os nossos parceiros – novos e existentes – entreguem os pagamentos cada vez mais integrados, simples e seguros”, explica Ruben Salazar, vice-presidente de Produtos e Inovação da Visa para a América Latina e o Caribe.

O que é o fast-track

Lançado em junho, na Europa, o programa chega agora às fintechs da América Latina e Caribe. O programa de fast track busca atender às necessidades das fintechs parceiras da Visa, adaptando-se às suas realidades com processos mais rápidos, o que inclui reduzir o número de requisitos de integração, conectando as fintechs à plataformas já certificadas pela Visa, ao mesmo tempo em que facilita o contato com bancos patrocinadores.

Inicialmente, a Visa usará as parcerias existentes com habilitadoras digitais – como a NovoPayment e a YellowPepper – para ajudar as startups que participam do programa a desenvolver e implantar suas soluções no mercado.

FONTE: IDF NOW!