abr 11

Um quarto da população quer uma Inteligência Artificial no lugar dos políticos – isso é bom?

Na Europa, robôs políticos podem ser melhores que humanos políticos. No Brasil, começaram os primeiros passos rumo a um Governo totalmente digital…

Parece polêmico e perigoso deixar as decisões de um país inteiro na mão de um algoritmo. Mas para um quarto da população da Europa, isso é o melhor a fazer…

No Reino Unido e na Alemanha, a proporção de quem prefere robôs à políticos é ainda maior: um em cada três (33%, em média). Na Holanda, 43% querem que a IA tome decisões no lugar dos políticos.

Esses dados vieram da pesquisa realizada pelo Centro para a Governança da Mudança na IE University, na Espanha, com pessoas de 8 países europeus diferentes.

A tensão na Europa sobre o Brexit e as consequências que ela poderá causar no continente pode ter influenciado o resultado.

Afinal, visto as tensões e expectativas de se aprovar ou não a medida, é natural a preferência de milhões de europeus acreditarem que uma máquina pode tomar decisões menos emocionais e subjetivas e, portanto influenciáveis, do que um ser humano no poder.

A discussão sobre o tema, claramente, não acaba por aí… Mas é um bom ponto de partida para se discutir se o uso de tecnologia (dentre elas, a I.A) pode ajudar os países a criarem políticas mais justas e menos corruptíveis.

Se essa pesquisa acontecesse no Brasil…

O resultado talvez não fosse tão diferente assim…

Segundo o Fórum Econômico Mundial, o Brasil é o país que menos confia em políticos no mundo.

Essa decisão pode ter se agravado pela recente crise política (da qual ainda nos recuperamos) e os recorrentes casos de corrupção denunciados pela Operação Lava-Jato.

Provavelmente não veremos robôs tomando os rumos de uma nação tão cedo. Mas já temos tecnologias para tornar nossos Governos cada vez mais digitais:

    • Big Data para unificar e criar um banco de dados único para os brasileiros, acabando com a burocracia;
    • Inteligência Artificial capaz de ajudar em decisões jurídicas e análises de processos;
    • Machine Learning capaz de aprender e prever possíveis fraudes, aumentando a arrecadação de impostos dos governos;
    • EdTechs (startups de educação) podem ajudar o governo a levar educação até áreas distantes ou até mesmo controlar a frequência escolar do aluno, evitando a evasão escolar;
    • HealthTechs (startups de saúde) podem informatizar a saúde pública no país, criando consultas online e evitando que milhares de pacientes deixem de percorrer quilômetros para fazer um simples exame médico.
    • Essas são apenas algumas tecnologias e startups que podem ajudar diretamente governos a criarem uma gestão que faça mais, gaste menos, e facilite mais a vida da população.

      Uma pesquisa realizada pela Ovum TMT Intelligence mostra que os gastos dos governos com tecnologias está aumentando à medida que os serviços públicos são digitalizados.

      • 2016: 226 bilhões de dólares
      • 2017: 233 bilhões de dólares
      • 2018: 239 bilhões de dólares
      • 2019: 246 bilhões de dólares (estimativa)
      • 2020: 255 bilhões de dólares (estimativa)
      • 2021: 265 bilhões de dólares (estimativa)

      Vale o investimento? Números mostram que sim…

      Em um primeiro momento, o Governos podem achar o investimento alto.

      Mas pesquisas da empresa de inteligência de mercado IDC aponta que para cada 1 real investido em tecnologia na gestão pública, o governo economiza exatos 9, 79 reais no ano seguinte.

      Uma retorno de 97,9% investido em um setor que custa bilhões de reais ao Governo todos os anos.

      O Brasil parece que começou a entender esses benefícios, e passou a realizar investimentos milionários em startups que possam ajudar o país a realizar uma gestão mais rápida a custos menores.

      Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), empresa pública vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovação, abriu inscrições para o programa de financiamento de startups.

      Segundo o comunicado, serão investidos até R$ 30 milhões em 30 startups, R$ 1 milhão por projeto.

      Por isso, se você possui uma startup que pode ajudar o Governo a ser mais eficiente e está em busca de financiamento e parcerias…

      Ou trabalha no setor público e está em busca de soluções inteligentes que possam ser incorporados no dia a dia do seu trabalho…

      A StartSe irá realizar no próximo dia 24 de abril o GovTech Conference. Um evento focado em trazer startups e tecnologias inovadoras que gestores públicos reinventarem seus governos.

      Já temos vários palestrantes confirmados que você pode conferir na página oficial do evento.

      E um valor promocional de até 40% nos ingressos (verificar lote) que você pode conferir aqui.

FONTE: StartSe