maio 21

Um dos 20 maiores escritórios da XP Investimentos quer crescer ainda mais e aposta nas mulheres

SVN Investimentos tem R$ 1,8 bilhão sob custódia, cerca de 2 mil clientes e unidades em São Paulo, Maringá e Londrina.

Renata Alves Gandini e Lidiane Tavares: mulheres de sucesso no mercado financeiro

Nos últimos quatro anos, quatro milhões de mulheres entraram para o mercado de trabalho no Brasil, segundo informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Mas ainda assim, a representatividade feminina encontra obstáculos – em alguns setores mais que outros.

No mercado financeiro, a diferença entre homens e mulheres é bem explícita. O número de investidores na bolsa chega 213.679, contra 769.042 homens, segundo dados da B3 divulgados em março deste ano. Do outro lado da mesa, a quantidade de mulheres que trabalha no mercado financeiro também é pequena em comparação aos homens.

Mas grandes profissionais desafiam os números e trazem excelentes resultados para suas empresas. Renata Alves Gandini Milanezi é assessora de investimentos da SVN Investimentos, um dos 20 maiores escritórios filiados à XP Investimentos, da unidade de Londrina, no Paraná. Sozinha e apenas em três meses de operação, ela administra R$ 24 milhões, se destacando dos demais assessores que iniciaram na mesma época.

Ela fez sua carreira trabalhando 20 anos em banco e no início de 2019 se arriscou em uma nova fase: trabalhando como agente autônoma de investimentos no escritório.

“Quando fui chamada não pensei duas vezes. Tirei o certificado da Ancord e aceitei o desafio. Ser agente autônoma se alinha com os meus valores. Hoje, olhando para o escritório, são poucas mulheres, mas é um processo até mais profissionais chegarem. A unidade de Londrina começou a operar neste ano”, explica.

Ela conta que não sente dificuldade em trabalhar em um ambiente majoritariamente masculino e acredita que as mulheres podem agregar e muito no mercado financeiro como um todo.

“As mulheres estão se interessando mais, estudando a respeito, procurando fazer aplicações. Acredito que a mulher investe melhor que o homem. Ele ou é conservador demais, ou agressivo demais. A mulher é mais ponderada neste sentido. Por isso, acaba rentabilizando melhor sua carteira”, afirma.

Como ela, a agente autônoma de investimentos Lidiane Montavanelli Tavares também fez sua carreira trabalhando 13 anos como gerente de banco e aceitou o desafio em março deste ano. “Ser autônoma é tomar conta da minha carreira. Trabalhar na SVN Investimentos me trouxe aumento na qualidade de vida e uma boa remuneração, mas é preciso virar a chave e entender que existe vida pós banco”, explica a assessora de investimentos que trabalha na filial do escritório em Maringá, também no Paraná.

Ela conta que enquanto trabalhava no banco, grande parte dos cargos eram ocupados por mulheres, mas que não sentiu dificuldades em trocar de ambiente. “O mercado de agentes autônomos tem mais de 90% de homens, mas acredito que isso está mudando. É um mercado que está em ascensão e atraindo a atenção das mulheres. Os melhores gerentes dos bancos estão migrando e é questão de tempo para termos um equilíbrio referente ao gênero”, afirma. Sobre o perfil das mulheres que investem, Lidiane acredita ser bem diversificado: vai do conservador ao arrojado.

E acredita que o que falta para termos um aumento no número de mulheres no mercado de assessores de investimentos é coragem para mudar de carreira e se arriscar como autônoma. “Entendo que muitas mulheres ainda têm insegurança, mas ao se tornar agente autônoma, você vira dona do negócio, entra como sócia. É um passo a mais na carreira”, diz.

Ela ressalta também que não é qualquer pessoa que consegue se dar bem como assessor de investimentos. “Aqui temos a liberdade para fazer a gestão da sua agenda e da carteira de seus clientes. É uma questão de perfil. E ainda, sendo mulher, é preciso ter jogo de cintura para administrar as diferentes situações da melhor forma”, diz.

O escritório em que elas trabalham, SVN Investimentos, tem R$ 1,8 bilhão sob custódia, cerca de 2 mil clientes e unidades em São Paulo, Maringá e Londrina. Uma equipe de quase 50 assessores se divide em cada unidade para ajudar os clientes a investirem melhor, sendo 7 mulheres.

Segundo Lidiane, a expectativa para este ano é contratar mais 20 assessores, com foco principalmente em gerentes de banco e, com isso, incluir ainda mais mulheres na equipe.

FONTE: INFO MONEY