fev 07

Trina Solar anuncia retirada de linha do primeiro módulo fotovoltaico

Baseado na tecnologia do gerador 210, gigante chinesa prepara-se para produzir uma nova era de módulos mais avançados, com 500 W de potência

A Trina Solar anunciou, no dia 24 de janeiro, que deixou de produzir o primeiro módulo de grande porte desenvolvido pela empresa para implantar o wafer de silício de 210 mm (módulo 210). Agora, a empresa prepara-se para produzir uma nova era de módulos mais avançados, com 500 W de potência. A gigante chinesa lidera o setor na área de pesquisa e desenvolvimento e de produção de módulos 210. A saída desse módulo abrirá espaço para a entrada de outros módulos de grande porte ao mercado.

A pesquisa e desenvolvimento do primeiro módulo 210 foi iniciada pela companhia em 2019. Com avançada tecnologia de barramento múltiplo, adota um inovador design de corte de 1/3. Esses módulos foram desenvolvidos superando desafios, como forte potência de módulo, rendimento, dificuldades de fabricação, riscos de hot spot, desempenho da corrente de saída e segurança da caixa de conexão.

Segundo a companhia, com toda essa bagagem, o módulo pavimentará a compatibilidade e integração de sistemas de grande porte, módulos de alta potência e downstream.

Com décadas de experiência acumulada em processos e tecnologia, a empresa está confiante de que pode aproveitar os mais recentes materiais e tecnologias para criar mais um módulo de alto desempenho e confiável para o setor fotovoltaico (FV).

A equipe da empresa está trabalhando para acelerar a transformação dos mais recentes resultados em pesquisa e desenvolvimento em produtos que podem entrar em produção em massa, levando a indústria de FV para a era dos módulos de 500 W de potência.

A Trina Solar é a provedora líder mundial de soluções totais de energia inteligente e de FV. Há 23 anos no mercado, a empresa está envolvida em pesquisa e desenvolvimento, fabricação e vendas de produtos fotovoltaicos, desenvolvimento, operação e manutenção de projetos de FV, microrrede inteligente e desenvolvimento e vendas de sistemas complementares de energia, bem como operação de plataforma na nuvem de energia.

Ao lançar em 2018, sua marca Internet das Coisas de Energia (Energy Internet of Things – IoT em inglês) a companhia iniciou, com empresas líderes mundiais e institutos de pesquisa, a Aliança de Desenvolvimento Industrial IoT de Energia da Trina (Trina Energy IoT) e o Centro de Inovação Industrial IoT de Novas Energias.

FONTE: PORTAL SOLAR