out 11

Tinta especial diminui número de fraudes em reparos de iPhones na China

A Apple, há cerca de cinco anos, sofreu nas mãos de golpistas na China em sua única loja física no país. A unidade recebeu milhares de reclamações na questão de uma semana com pedidos de reparos nos aparelhos e a Apple praticamente não dava conta. Foi aí que a empresa descobriu um esquema que envolvia a troca de smartphones com peças falsificadas para, com peças novas e autênticas nas mãos, vendê-las no mercado negro.

De lá para cá, a Apple vem lutando incansavelmente para evitar esse tipo de golpe de todo jeito, às vezes acertando a mão, às vezes errando feio. A empresa lançou um sistema de reserva online que obrigava o dono do iPhone em questão a comprovar sua compra por meio de nota fiscal ou algo similar e até um software que seria capaz de identificar iPhones com peças falsas.

A medida foi bastante positiva para a Apple, que viu o número de golpes cair de 60% para 20% em algumas regiões da China

Nada disso deu muito certo, só serviu para irritar os consumidores. Pior ainda: clientes que por algum motivo se tornavam suspeitos de estarem tentando dar um golpe faziam escândalos – com toda razão – e a imagem da Apple ficou abalada. A empresa foi obrigada a repensar o sistema para garantir que estava realizando reparos apenas em dispositivos originais sem tomar prejuízo.

Tinta mágica

Uma grande ideia, porém, conseguiu resolver muito dos problemas da Apple: além de realizar uma inspeção minuciosa nos aparelhos antes de aprovar o reparo neles, a empresa passou a testar os dispositivos internos dos iPhones – como processadores e baterias – usando uma tinta especial que só é visível sob um tipo específico de iluminação de frequência alta.

A medida foi bastante positiva para a Apple, que viu o número de golpes cair de 60% para 20% em algumas regiões da China. Agora, casos parecidos de fraudes têm surgido em outros países e a Apple vai ter novamente que dar um jeito de lidar com isso da melhor maneira possível.

FONTE: TEC MUNDO