set 05

Startup que capacita e conecta mulheres a vagas de emprego capta R$ 1,2 milhão para atrair mais empresas

Fundada por Jhenyffer Coutinho, a ‘Se Candidate, Mulher!’ quer atender mais companhias interessadas em contratar talentos femininos

Jhenyffer Coutinho e Fernanda Miranda são sócias na Se Candidate, Mulher (Foto: Divulgação )

Apesar de hoje ser dona de seu próprio negócio, Jhenyffer Coutinho, de 29 anos, sabe bem como é ter dificuldades na hora de procurar emprego. A jovem administradora nascida em Viçosa, Minas Gerais, costumava se sentir incapaz de concorrer às vagas de emprego às quais candidatava. Sabendo que outras mulheres passavam pelo mesmo, ela fundou a Se Candidate, Mulher!startup que capacita as profissionais e mantém um banco de talentos para que elas sejam encontradas por grandes empresas, como Coca-Cola, Crefisa e Nuvemshop. Agora, a empresa anuncia ter recebido um aporte de R$ 1,2 milhão para impulsionar a operação.

O objetivo da startup é preparar as mulheres para processos seletivos e incentivar que elas se candidatem a vagas para as quais têm os pré-requisitos. “A mulher passa por uma jornada de autoconhecimento e [combate à] síndrome do impostor, ao mesmo tempo que aprende como criar um currículo e um LinkedIn que seja mais bem-visto pelos recrutadores”, afirma.
Depois de passar por esse processo, a profissional é inserida no banco de talentos da Se Candidate, Mulher!.

As empresas que desejam ter acesso a esses talentos pagam pelo serviço da startup. Cerca de 80% da receita (R$ 500 mil em 2021) vem do B2B, e as organizações também podem oferecer um valor a mais para subsidiar as inscrições de suas possíveis contratadas — o que ocorre especialmente na área de tecnologia, diz a empreendedora. Em outros casos, porém, as mulheres pagam para ter acesso ao conteúdo e às vagas.

O aporte de R$ 1,2 milhão recebido pela startup vem de uma rodada finalizada na última semana de agosto, seis meses após o início da captação. Participaram a Bossanova Investimentos, por meio do ‘Ladies‘, projeto com foco em empreendedorismo feminino; a Sororitê, rede de investidoras-anjo liderada por Flavia Mello; e investidores-anjo independentes, como Larissa Janz e Carlos Sanjuan.

Negócio promissor

Jhenyffer Coutinho deu os primeiros passos na criação da Se Candidate, Mulher! em junho de 2020. A empreendedora — que anteriormente trabalhou como gerente de gente e gestão na Associação Brasileira de Startups — começou com uma newsletter e uma página do LinkedIn dando dicas para as mulheres. “Mas a audiência cresceu muito mais rápido do que eu esperava. Em um mês, tivemos 15 mil inscrições na newsletter e 30 mil seguidores no LinkedIn”, afirma. “Então, quando vi que as mulheres estavam sedentas por esse conteúdo, entendi que existia uma oportunidade de negócio.”

Decidida a começar uma startup, a empreendedora começou a fazer testes para saber quais seriam as melhores formas de mentorias. “Para testar as soluções, mentorei gratuitamente quase duas mil mulheres para criar um método que funcionava”, afirma. Em dezembro de 2020, lançou a primeira versão da plataforma, na qual as mulheres pagavam um plano para ter acesso ao conteúdo e elas mesmas iam em busca das vagas.

Então, quando as próprias usuárias começaram a falar sobre a plataforma, as empresas passaram a entrar em contato interessadas em ter acesso às profissionais. “Entrevistei mais de 80 organizações para saber quais eram as dificuldades que elas tinham em contratar mulheres e os gaps nos processos seletivos”, diz a empreendedora. A solução começou a ser vendida para as organizações em março de 2021.

Foi uma virada de chave para a startup. Naquele mesmo momento, Fernanda Miranda entrou como sócia para auxiliar na implantação do serviço.

No final de 2021, a empreendedora percebeu que havia chegado o momento de ir em busca de investimento externo para acelerar o crescimento. Mas o processo não foi simples. “Quis desistir em muitos momentos, mas confiei nos resultados que já havia conseguido”, diz a empreendedora, que passou a entrar em contato com potenciais fundos e investidores. “Recebemos muitos ‘nãos’ em reuniões. Foi muito difícil conseguir o primeiro ‘sim’, para que os demais investidores ficassem confiantes em fazer o aporte também.”

Com o dinheiro, a empreendedora espera conseguir ampliar a sua forma de atrair clientes B2B. “Até o momento, as empresas vieram até nós. Agora, queremos criar uma maneira de nós irmos até eles para vender a nossa solução”, afirma. O recurso também será investido em tecnologia e marketing, com a meta de triplicar o faturamento neste ano.

FONTE: https://revistapegn.globo.com/Mulheres-empreendedoras/noticia/2022/09/startup-que-capacita-e-conecta-mulheres-vagas-de-emprego-capta-r-12-milhao-para-atrair-mais-empresas.html