set 02

Startup de soluções financeiras, Justa quer ser referência do setor

Em seus quatro anos de idade, a Justa caminha em direção à sua meta de se tornar até 2024 referência entre fintechs do país, com um ecossistema focado em pequenas e médias empresas, oferecendo soluções financeiras e pagamentos.

Nascida em 2018, a fintech de soluções financeiras opera atualmente com mais de 30 mil clientes, majoritariamente nordestinos.

Em entrevista ao Suno Notícias, Felipe Bonezi, head de tecnologia da Justa, contou sobre a história, obstáculos e sonhos da fintech. “Nossa finalidade sempre foi criar um ecossistema de soluções financeiras, priorizar pagamentos, conta digital e oferta de crédito”, explica Bonezi.

Em 2018, quando a Justa era apenas uma startup beta, a companhia se aliou à Elo, gigante de maquininhas e soluções financeiras, para chegar aos quatro cantos do Brasil.

Dos mais de 30 mil clientes da Justa, se destacam a Carmen Steffens, a Aéropostale, a Óticas Gassi, franqueados de marcas como a Hering, do grupo Soma (SOMA3), Boticário, entre outros.

Deste total, mais de 55% da base de clientes da Justa ficam no Nordeste.

Desde 2020, a empresa diz ter crescido 500% em movimentações financeiras, apoiando os “heróis” e “heroínas”, como são chamados os clientes da Justa, em seus serviços financeiros, desde pagamento de boletos, maquininhas de cartão, oferecimento de crédito e pagamento de boletos sem dinheiro.

“Somos a One stop shop do lojista”, explica Bonezi. A expressão em inglês significa que o cliente pode obter diversos serviços em um local centralizado – neste caso, no sistema da Justa.

A startup começou a desenvolver produtos focados em vendas na web e pelo Instagram, além de delivery, por meio de um link de pagamentos que oferece “todas as soluções”.

A Justa atende apenas empresas, sejam elas micro ou não. Ou seja, não pretende atender como um banco para pessoas físicas.

Para fazer o credenciamento na plataforma da Justa levam-se em média 3 minutos. “Usamos inteligência artificial e bancos de dados que o próprio governo e parceiros nos fornecem, onde facilitamos, carregando todos os dados para você”, explica o executivo.

A startup foca no investimento em seu time de tecnologia, que ocupa 47% do total de funcionários da companhia, seguido pelo time de operação, segundo Bonezi. Assim, o executivo afirma que todas as soluções tecnológicas da Justa foram feitas pelo próprio time.

Felipe, que já trabalha desde os 19 anos na área de soluções financeiras, apresenta a Justa como uma opção para “o que o mercado brasileiro está precisando para crescer, principalmente para as pessoas que se encontram no interior do país”.

Um destaque para a Justa este ano foi sua parceria com a Omie, plataforma de gestão na nuvem, no programa Plug Justa.

Impactos da inflação na Justa

Como a maioria das startups do mercado, a Justa também tem observado impactos em suas taxas, em meio ao cenário econômico com alta na inflação e nas taxas de juros.

Felipe diz que a Justa manteve-se transparente com os impactos e que, com as “vantagens” dos produtos, a grande maioria deles teve as taxas mantidas, principalmente para quem possui crédito.

“Outros produtos que diversificam a receita acabam tendo uma retenção em cima desses heróis”, diz.

O executivo diz que a Justa segue crescendo da mesma forma, investindo “mais” em pessoas.

No total, os investimentos da Justa somam R$ 40 milhões, entre aportes dos sócios, reinvestimentos e venture debt (empréstimo de risco) .

“Na nossa visão a longo prazo estamos muito otimistas mesmo”, conclui Bonezi.

Contribuição vital da AWS

Se a Amazon Web Services (AWS) não existisse, não existiria a Justa, diz Felipe Bonezi. A fintech financeira utiliza o serviço Cloud desde o primeiro dia de funcionamento.

A Justa também conta com mais de 15 serviços da Amazon na sua gestão de serviços. Além de ajudar em gestão de mensageria, eventos, notificações e clusterização do sistema.

Bonezi explica que a Justa tem uma arquitetura de microservices (microserviços) para formar seu ecossistema e a Amazon auxilia a manter o ambiente escalável, disponibilizando arquitetos e soluções para a fintech.

A Justa estará presente na AWS Cloud Experience, evento da Amazon dia 15 de setembro em Recife.

FONTE: https://www.suno.com.br/noticias/startup-solucao-financeira-justa/