jul 21

Startup de segurança blockchain levanta US$ 90 milhões apesar do inverno cripto

Empresas do setor reduziram valuations e fizeram demissões antes de captar recursos de fundos de venture capital

A Halborn, uma startup de segurança de blockchain Halborn, levantou US$ 90 milhões, informou a empresa à Bloomberg News. O acordo contrasta com o pessimismo atual dos investidores de venture capital em relação às startups de criptoativos e a forte baixa das moedas digitais.

A Summit Partners liderou o financiamento da Série A para a Halborn, com sede em Miami, que também incluiu Castle Island Ventures, Digital Currency Group e Brevan Howard. A startup de três anos se recusou a divulgar seu valuation.

Muitas empresas de segmentos complementares da indústria cripto procuraram recentemente captar recursos com valuations mais baixos após implementar demissões, conforme os preços de moedas digitais como bitcoin e ether despencaram. Mas o CEO da Halborn, Rob Behnke, diz que o foco da startup na segurança cibernética lhe dá alguma imunidade ao meio ao inverno cripto.

“O preço das criptomoedas não tem nada a ver com o nosso negócio”, disse ele em entrevista. “O que realmente importa é que toda a indústria está crescendo.”

Halborn viu a demanda pelos serviços da empresa aumentar no ano passado, já que hacks de alto perfil abalaram o setor, disse Behnke. A startup de mais de 100 pessoas visa impedir essas iniciativas, como um ataque de US$ 620 milhões em março envolvendo o jogo de token não fungível Axie Infinity, avaliando o código subjacente às plataformas blockchain para vulnerabilidades e desenvolvendo medidas de segurança.

A startup detectou uma falha na popular carteira de criptomoedas MetaMask que foi anunciada no mês passado. “Mantivemos isso por quase um ano até que eles consertaram”, disse o cofundador e diretor de segurança da informação da Halborn, Steve Walbroehl, em entrevista.

A empresa trabalha com a Coinbase Global Inc., a blockchain Solana e a Ava Labs, desenvolvedora da blockchain Avalanche. Ela faz consultoria para empresas fora do setor cripto como Amazon.com Inc., BNY Mellon e Nike Inc. sobre como usar e proteger o ambiente cripto. A Halborn também aconselha empresas de capital de risco, family-offices e bancos sobre o nível de risco de projetos envolvendo criptoativos.

“Eles realmente querem ter certeza de que não serão hackeados e perderão todo o seu dinheiro”, disse Behnke.

Para decidir se investiria na Halborn, Matthew Hamilton, diretor administrativo da Summit Partners, disse que a gestora de private equity acreditava que a demanda pelos serviços de segurança da empresa aumentaria com o tempo, já que a indústria de criptoativos ainda é relativamente jovem.

A Halborn representa o primeiro investimento em blockchain da Summit, e Hamilton ainda vê vantagens no atual inverno cripto do setor: “É uma separação necessária das boas ideias das ruins”, disse ele.

FONTE: https://valor.globo.com/financas/criptomoedas/noticia/2022/07/19/startup-de-seguranca-blockchain-levanta-us-90-milhoes-apesar-do-inverno-cripto.ghtml