dez 07

Startup de afretamento de ônibus Buser investirá R$50 mi em expansão

A empresa quer investir em marketing, tecnologia e logística, se preparando para expansões por todo o Sudeste em 2019

Imagem de arquivo: Hoje, a startup tem 40 mil usuários no país e transporta cerca de 3.500 pessoas por mês entre as 20 cidades que atende (iStock/Thinkstock)

startup de afretamento de ônibus Buser pretende investir 50 milhões de reais em 2019 para aumentar sua presença no país, visando a demanda de pessoas físicas por transporte coletivo entre cidades e Estados.

A empresa, fundada em 2017 em Minas Gerais, quer usar o montante para investir em marketing, tecnologia e logística, se preparando para expansões por todo o Sudeste em 2019, e projeta entrar em outras regiões do país a partir de 2020. A companhia conecta passageiros a operadoras de ônibus e afirma que viagens reservadas por sua plataforma custam até 60 por cento menos que passagens compradas em rodoviárias.

“Vamos investir bastante em marketing para gerar densidade em várias outras conexões, para sair da atual uma rota e meia – que são BH-SP todo dia e BH-RJ quatro vezes por semana – para ter 50 rotas todos os dias até o final de 2019”, disse em entrevista a Reuters o presidente-executivo, Marcelo Abritta, engenheiro, que fundou a Buser juntamente com o economista Marcelo Vasconcellos, vice-presidente de operações da empresa.

Atualmente a startup tem 40 mil usuários no país e transporta cerca de 3.500 pessoas por mês entre as 20 cidades que atende. As principais rotas são entre Belo Horizonte e São Paulo, e entre BH e Rio de Janeiro, que concentram a maior demanda de usuários que buscam viagens no site da empresa.

A Buser cobra do operador do ônibus uma taxa que varia de 0 a 20 por cento do valor de cada viagem, dependendo do número de passageiros por veículo. Atualmente, a Buser trabalha com 10 ônibus e Abritta prevê ter até 110 veículos na plataforma até o final de 2019.

“A Buser foi bem recebida no setor de fretamento, porque todo mundo tem ociosidade nos veículos e estão interessados em viajar mais”, disse o executivo, acrescentando que a empresa quer sair de 3.500 passageiros por mês para cerca de 3 mil pessoas transportadas por dia até o final de 2019.

Expansões

Para realizar os investimentos, a Buser recebeu aporte de três fundos internacionais de capital de risco especializados em tecnologia, mas Abritta não revelou o valor ou o nome dos investidores. Em março a empresa já havia recebido um investimento anjo de valor não divulgado, com participação dos fundos Canary, Yellow Ventures e FEAP (Fundação Estudar Alumni Partners).

“Vamos expandir primeiro para várias cidades, então BH-SP deve continuar tendo um ou dois ônibus por dia, não vão ser 20, 30. Na rodoviária são 40 ônibus nessa rota todos os dias. Mas devemos ter um ou dois ônibus para vários outros destinos”, disse Abritta.

Até o final do primeiro semestre de 2019, o executivo afirmou que a Buser estará presente nas capitais do Sudeste e todas as cidades que são “hubs” regionais como Ribeirão Preto (SP), Macaé (RJ) e Juiz de Fora (MG). No segundo semestre do ano que vêm a empresa quer chegar a cidades menores, disse Abritta citando um trajeto entre as cidades paulistas de Ribeirão Preto e Franca.

Segundo o site da startup, atualmente a empresa já têm ônibus que atendem Distrito Federal, Curitiba, e duas cidades no Mato Grosso do Sul, mas Abritta diz que ampliar a presença da Buser fora do Sudeste é uma meta para 2020.

“No final de 2019 vamos estar entrando na Bahia, por exemplo. Já temos planos para rotas em Salvador e outras capitais do Nordeste.”

FONTE: EXAME