out 18

Start-up israelita de salmão salva população de peixes (com impressão 3D)

A start-up israelita Plantish mostrou, uma vez mais, o sucesso do país na área da impressão de alimentos em 3D.

A empresa alimentar israelita Steakholder criou o “Omakase Beef Morsels” com uma impressora 3D. Desta vez, quem apostou nesse setor foi a Plantish.

A start-up israelita Plantish pretende transformar a indústria alimentar, nomeadamente a alimentação à base de peixe. De acordo com o site da empresa, o principal objetivo é evitar a redução da população de peixes e produzir peixe que consiste inteiramente em impressões 3D.

A Plantish começou a competir no mercado do salmão e agora produz filetes vegetarianos através de um processo de impressão em 3D. A empresa já angariou 12,5 milhões de dólares e planeia comercializar o seu peixe.

Prevê-se que o consumo global de peixe aumente de 179 milhões de toneladas em 2018 para 204 milhões de toneladas em 2030.

Esta escalada de consumo causa impacto nos oceanos e dificuldades ecológicas, ao mesmo tempo que diminui a qualidade do peixe, segundo um relatório publicado pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO).

“Tudo começou quando nos apercebemos de que o nosso oceano — a origem de toda a vida na Terra — está a morrer. A pesca excessiva está a causar enormes danos ambientais aos nossos oceanos. No entanto, a procura de peixe está em alta e apenas a aumentar. Compreendemos que as pessoas adoram comer peixe“, afirmou a equipa da Plantish.

“Decidimos enfrentar este desafio utilizando proteínas alternativas, utilizando ingredientes que são mais seguros de consumir, sem antibióticos ou toxinas que se possam encontrar nos peixes convencionais, mas ainda com um teor muito elevado de ómega 3 e proteínas”, sublinharam, citados pela Interesting Engineering.

A Plantish também se esforça por manter um local de trabalho com zero emissões e acredita na construção de um sistema alimentar transparente. Todos os seus ingredientes são da mais alta qualidade e de origem responsável.

Além disso, os seus peixes contêm todas as proteínas e nutrientes essenciais, sendo que os salmões Plantish são isentos de mercúrio, microplásticos, e outros poluentes.

“A nossa visão é ser uma empresa de marisco — o salmão é apenas o começo. O nosso objectivo é fabricar substitutos para qualquer peixe que as pessoas consumam em filetes. Desde que haja procura, podemos expandir para qualquer coisa que tenha uma estrutura de peixe, e o céu é o limite“, salientou a equipa.

“Acreditamos que com a nossa tecnologia e a nossa incrível equipa, podemos conseguir qualquer coisa. Queremos criar produtos do mar deliciosos e saborosos que as pessoas ficarão entusiasmadas por comer”, concluiu.

FONTE: https://zap.aeiou.pt/start-up-israelita-salva-peixes-com-impressao-3d-503042