mar 31

SoftBank planeja vender US$ 41 bilhões em ativos para reduzir dívida e evitar crise

Grupo vai destinar até US$ 18 bilhões para recomprar suas ações

O grupo japonês SoftBank anunciou um novo plano para vender US$ 41 bilhões em ativos. O dinheiro será usado para financiar a recompra de ações e reduzir a dívida da companhia, com o intuito de conter um colapso no preço das ações da empresa causada pela crise do novo coronavírus, segundo o jornal Financial Times.

O plano envolve vender ou liquidar até 4,5 trilhões de ienes japoneses (US$ 41 bilhões) em ativos, que ajudarão o grupo a recomprar até US$ 18 bilhões em ações. O restante dos recursos será usado para quitar dívidas, recomprar títulos e melhorar o fluxo de caixa. “Este programa será a maior recompra de ações e resultará no maior aumento de saldo de caixa da história do SoftBank Group”, afirmou Masayoshi Son, fundador e CEO do grupo.

Recomprar as próprias ações significa que o grupo pode querer elevar seu valor de mercado ou pela percepção da empresa de que suas ações estão “subvalorizadas”. A companhia não revelou quais ativos de seu portfólio pretende vender, mas analistas indicam que o grupo japonês pode vender sua participação no valor de US$ 140 bilhões no gigante chinês de comércio eletrônico Alibaba.

O anúncio ocorre em um momento delicado para o conglomerado japonês, uma vez que um de seus investimentos, a startup WeWork, vem sofrendo sucessivas baixas desde a saída do fundador e CEO, Adam Neumann, setembro de 2019.

Coronavírus

As consequências da pandemia de coronavírus e o medo de seu impacto nos negócios e na economia também são algumas das preocupações do SoftBank. A empresa japonesa já havia adotado medidas para aumentar o preço de suas ações e “melhorar o retorno dos acionistas”. No mês passado, o preço das ações da empresa caiu pela metade com o avanço da covid-19 e a dívida líquida de US$ 55 bilhões acumulada pelo grupo.

FONTE: ÉPOCA