ago 16

Sistemas de IA já conseguem prever mudanças na política de um país

Sistemas de Inteligência Artificial (IA) A podem ser muito úteis para a análise de dados. E agora, uma empresa provou este ano, a partir de um robô, que a tecnologia pode ser muito útil até mesmo para prever mudanças na política de um país.

 Desenvolvido pela startup londrina Arkera, o robô monitorou durante todo o processo de votação da reforma da Previdência no Brasil, prestando atenção nas redes sociais de todos os 513 parlamentares que participariam da votação, além dos comentários envolvendo o assunto que eram feitos em jornais brasileiros e sites do governo.

Assim, algumas semanas antes do texto da reforma ser aprovado, a IA da Arkera não apenas já tinha previsto que os parlamentares brasileiros aprovariam a reforma, como, no fim a previsão, ele quase acertou o resultado exato da votação – ou pelo menos foi o que a empresa alegou, já que ela não permitiu que a imprensa visse qualquer um dos relatórios produzidos pelo robô por conta de preocupação com a privacidade dos dados dos parlamentares.

Esse relatório fez com com diversos grupos de investimentos de Nova York e de Londres apostassem na compra do Real que, desde então, já valorizou mais de 8%, garantindo um bom lucro a esses fundos.

É por esse tipo de coisa que pesquisadores acreditam que as IAs irão revolucionar o mercado de pesquisa – principalmente no setor financeiro. Segundo Nav Gupta, cofundador da Arkera, os resultados obtidos com o software da empresa é o equivalente ao trabalho feito por mil analistas humanos e que, com um investimento inicial de US$ 100 mil, os bancos podem economizar até US$ 1 milhão ao longo de sete anos de utilização do sistema.

Segundo Barek Bardonski, ex-presidente da Sigmoidal (outra empresa de desenvolvimento de software para análise de dados), outra vantagem da IA sobre os analistas tradicionais seria uma melhor capacidade de resumo. Assim, ao invés de receber centenas de artigos de notícias, gráficos e relatórios de desempenho, os clientes poderiam obter todas essas informações resumidas em uma única página.

Bardonski ainda revela sobre como softwares deste tipo podem até mesmo determinar coisas que seriam impossíveis para um único analista humano. Um exemplo disso seriam os protestos que aconteceram em Hong Kong em julho deste ano: ao processar todas as informações de notícias que saíram na imprensa e mensagens no Twitter sobre o assunto, a IA foi capaz até mesmo de definir quem eram as lideranças dos protestos e prever com exatidão se haveriam ou não confrontos.

Assim como a Arkera, a Sigmoidal também não permitiu que membros da imprensa tivessem acesso aos modelos de relatórios criados pelo software da empresa, também alegando o motivo de proteção à privacidade das pessoas que foram monitoradas.

Fonte: Bloomberg