fev 07

Sementes magnéticas prometem revolucionar tratamento do câncer

Um grupo de cientistas da Universidade de Londres (UCL) desenvolveu uma nova terapia contra o câncer que usa sementes magnéticas para aquecer e matar células cancerígenas. Este novo método pode ser bastante promissor para o tratamento de tumores cerebrais e em outras partes do corpo.

A terapia, que foi batizada de ablação guiada por imagem minimamente invasiva (Minima, na sigla em inglês), é composta por uma espécie de semente ferromagnética. Essa semente é navegada para o tumor com auxílio de gradientes de propulsão gerados por um scanner de ressonância magnética.

Aquecer e matar

Ilustração demonstrando o funcionamento do Minima no tratamento de câncer. Crédito: Mark Lythgoe/UCL

Em seguida, a semente é aquecida remotamente com o objetivo de matar células cancerígenas que estejam próximas. Segundo os pesquisadores, as descobertas estabelecem uma “prova de conceito” para o tratamento de glioblastoma de difícil acesso e outros cânceres, como de próstata.

“O Minima é uma nova terapia guiada por ressonância magnética que tem o potencial de evitar os efeitos colaterais tradicionais ao tratar com precisão o tumor sem prejudicar os tecidos saudáveis”, escreveu o autor sênior do estudo, Mark Lythgoe.

Segundo Lythgoe, como a semente de aquecimento é magnética, os campos magnéticos no scanner de ressonância podem ser usados para orientar a semente através do tecido até o tumor. “Uma vez no tumor, a semente pode ser aquecida, destruindo as células cancerosas”, disse o médico.

Pequenas sementes metálicas

As sementes magnéticas são feitas de uma liga metálica, têm formato esférico e cerca de 2 mm de comprimento. Elas são implantadas superficialmente no tecido antes de serem programadas para rastrear, aquecer e matar as células cancerígenas.

Hoje, os scanners de ressonância magnética estão amplamente disponíveis em hospitais do mundo inteiro, sendo importantes no diagnóstico de câncer. Porém, o Minima tem o potencial de elevar os scanners para a categoria de plataforma terapêutica, e não só de diagnóstico.

“À medida que a semente é guiada através do tecido, ela pode ser aquecida para destruir o câncer. Isso combina terapia e diagnóstico em um único dispositivo, criando uma classe completamente nova de terapia por imagem”, escreveu Lythgoe.

FONTE: https://olhardigital.com.br/2022/02/06/medicina-e-saude/sementes-magneticas-prometem-revolucionar-tratamento-do-cancer/