jul 22

Revolução 5G: levando conectividade às regiões mais afastadas do Brasil

Empresas de telecomunicações e ferrovias se unem para que o serviço chegue mais cedo a nove estados, utilizando 14 mil quilômetros de trilhos

No fator conectividade, o Brasil avançou vários passos com o 5G (Bússola/Divulgação)

Neste mês, o Brasil deu alguns passos importantes em direção à ampliação da conectividade em sua forma mais moderna, o 5G. Brasília se tornou a primeira capital a ter quinta geração de internet móvel acessível em 80% do município — as próximas capitais selecionadas pela Anatel para ter o mesmo níveis de acesso devem ser São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre e João Pessoa.

Com as negociações firmadas após o leilão do 5G, em novembro do ano passado, a expectativa é que até o final de julho de 2029 mais de 5.500 cidades tenham acesso ao serviço que aumenta a capacidade de transmissão de dados e diminui o tempo de resposta entre diferentes dispositivos, além de assegurar conexões mais estáveis.

Por ora, muitos municípios ainda esperam pela chegada de uma estrutura que comporte tal inovação. Nesse sentido, outro passo significativo foi dado nesta semana com o anúncio da parceria entre a empresa de telecomunicações Surf Tech e a Rumo, maior operadora de ferrovias do Brasil. A expectativa é implantar uma rede de fibra ótica com foco em 5G, que poderá contemplar os 14 mil quilômetros de trilhos administrados pela concessionária nos estados de Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Minas Gerais, Goiás e Tocantins, de acordo com a demanda do mercado.

Com um investimento de R$ 1,5 bilhão, que serão captados via emissão de debêntures pela Surf Tech, o projeto se viabiliza pela cessão do direito de implantação da fibra óptica na extensão da faixa de domínio das malhas ferroviárias

“O ecossistema advindo da implantação do 5G no Brasil e no mundo vai muito além do que o 4G proporciona”, diz Yon Moreira, fundador da Surf Tech “Queremos levar mais conectividade a mais municípios e, com isso, permitir a automação da ‘locomotiva’ de crescimento brasileira, que é o agronegócio, e uma verdadeira revolução na saúde, educação e bem-estar dos brasileiros”.

A rede projetada para atender as mais de 500 cidades pelas quais passam os trilhos da Rumo deve ter capacidade para tráfego de até de 1 Exabps — ou seja, cerca de 1 bilhão de Gpbs. Isso significa que pode ser 1 milhão de vezes mais potente do que um dos cabos submarinos de fibra óptica que atualmente conectam o Brasil aos Estados Unidos.

“Essa parceria representa um marco para a infraestrutura do país”, afirma Renato Caldo, gerente executivo de Desenvolvimento de Negócios Associados da Rumo. “É uma iniciativa que conjuga a faixa de domínio de ferrovias com a instalação de fibra óptica, e tem tudo para ser um dos maiores projetos de 5G do Brasil. Estamos empenhados em deixar um legado perene para a sociedade.”

FONTE: https://exame.com/bussola/revolucao-5g-levando-conectividade-as-regioes-mais-afastadas-do-brasil/