jan 05

Reveillón em Copacabana tem fogos disparados por GPS e transmissão por drones

À espera de um público de três milhões de pessoas, a prefeitura espera fazer um espetáculo inesquecível no réveillon da Praia de Copacabana. Segundo o presidente da Riotur, Marcelo Alves, a ocupação hoteleira prevista já é superior ao ano passado, sendo que, hoje, a cidade conta com 58 mil quartos de hotéis, enquanto o número não passava de 20 mil antes das Olimpíadas.

— Nós vamos receber muitos turistas estrangeiros e queremos impressioná-los. Sem contar os brasileiros que se hospedam na casa de parentes e amigos. Buscamos parceiros para minimizar o investimento público e estamos trabalhando para ter um evento à altura da cidade do Rio de Janeiro — explicou Marcelo.

Toda a estrutura da festa em Copacabana, que traz muitas inovações tecnológicas, custou R$ 2 milhões. A estrutura dos foguetes das onze balsas, que antes era feita de madeira, agora é de aço. As 25 toneladas de fogos serão disparadas por GPS, durante 17 minutos. De acordo com Marcelo Kokote, pirotécnico da Vision Show — empresa contratada para produzir o espetáculo aéreo — , as bombas serão pré-programadas para disparar pontualmente à meia-noite. Funcionários serão posicionados em cada uma das balsas apenas por questões de segurança:

— Antigamente, a tecnologia usada era rádio, que poderia sofrer muitas interferências. Então, eram posicionadas pessoas nas balsas para agirem caso isso acontecesse. Agora não existe essa possibilidade, o que aumenta a sincronia dos fogos.

Cada balsa leva três equipamentos ‘time machine’, responsáveis pela contagem e pelo disparo das bombas. Ainda de acordo com Kokote, é a primeira vez que essa tecnologia é usada no Brasil. Serão utilizados 17 mil tubos maiores e 20 mil menores de fogos importados da Itália, da China e do Japão.

A Capitania dos Portos realizou, nesta sexta-feira, uma operação de fiscalização das condições das balsas, dos rebocadores e das lanchas de apoio, para garantir a segurança do evento. Este ano, são esperados seis navios de passageiros e cerca de 250 embarcações particulares que vão assistir a tudo diretamente do mar. Segundo o capitão dos Portos do Rio de Janeiro, capitão de Mar e Guerra Sergio Renato Berna Salgueirinho, as balsas serão deslocadas para a Praia de Copacabana na noite deste sábado. A partir daí, o canal ficará bloqueado para passagem de outras embarcações, respeitando um perímetro de segurança de 500 metros.

Uma música exclusiva foi produzida para o show aéreo, que terá a transmissão simultânea, em doze telões, com imagens de drones, de ângulos que o público nunca pôde ver. Já em terra, o público poderá conferir as apresentações de Anitta, Belo, Cidade Negra, Frejat, além das baterias da Mocidade de Padre Miguel e da Portella, em um palco pela primeira vez redondo, com estrutura de led, cortinas de luz e 30 torres de som.

FONTE: O EXTRA