maio 07

Representante da Claro diz que eSIM vai substituir chip SIM em breve

Novo chip é menor que o atual, não pode ser trocado e possibilita a utilização de diferentes redes

O chip eSIM é semelhante ao chip de celular que conhecemos hoje, mas também é um SIM (Subscriber Identity Module), a diferença é que ele é ainda menor e é embutido no aparelho durante a fabricação. Há alguns dispositivos com a tecnologia atualmente, são exemplos: Galaxy Watch, iPhone XS, XS Max, XR, Apple Watch Series 3, Google Pixel 3, 3 XL.

 

Mesmo que ele não seja tão popular, parece que está se tornando uma tendência inevitável. Bom, pelo menos é o que diz Leonardo Contrucci, diretor de inovação da Claro, uma das empresas pioneiras na adoção do eSIM no Brasil. Segundo ele, durante o evento Tela Viva Móvel, a chegada do eSIM significa o fim dos cartões SIM.

Atualmente, para mudar de operadora é necessário fazer a troca de chip para depois assinar um plano com a operadora desejada, com o eSIM, apenas será necessário escolher o serviço e passar a utilizá-lo. Caso o usuário não queira mais utilizar o pacote oferecido, pode simplesmente cancelar e assinar com outra empresa. O eSIM permite que o usuário faça o cadastro de diferentes redes.

E do ponto de vista empresarial, permite que a Claro e outras operadoras do Brasil ofereçam diferentes tipos de serviços além de uma série de vantagens, listadas pelo representante da Claro: simplificação de processos, redução dos custos de logística, possibilidade de lançar novos serviços, mais durabilidade. Segundo ele, isso gera novos negócios para as operadoras, já que elas podem passar a oferecer mais de uma linha para a mesma pessoa e bolar outras estratégias de vendas.

A maior preocupação dos usuários no assunto, a troca de aparelhos, o que fazer caso você precise trocar de smartphone? Na verdade, o chip não será seu, mas o plano que você assinar com a operadora sim, dessa forma você estará associado através de um cadastro e não de uma peça física, permitindo que na troca de um aparelho você continue a utilizar o serviço sem problemas. O chip só será responsável pelas funcionalidades básicas de registro na rede e não será o seu representante nela.

FONTE:  MUNDO CONECTADO