ago 21

Realidade aumentada beneficia plantas frigoríficas

Técnica pode melhorar as operações de treinamento da força de trabalho e manutenção de equipamentos.

O usa da tecnologia de realidade aumentada pode trazer muitos benefícios para as plantas frigoríficas inteligentes. De acordo com Bryan Griffen, diretor de serviços industriais, PMMI, Associação de Tecnologias de Embalagem e Processamento, em um texto publicado no portal CarneTec Brasil, um número crescente de fornecedores está utilizando esse tipo de método.

“Caracterizada por uma fusão de tecnologias que confundem as linhas entre o físico e o digital, a 4ª Revolução Industrial está se espalhando pelo mundo manufatureiro. Como um componente dessa revolução, um número crescente de fornecedores está usando a realidade aumentada (RA) para melhorar as operações de treinamento da força de trabalho e manutenção de equipamentos. A RA é uma versão da realidade tecnologicamente aprimorada criada usando a tecnologia para sobrepor informações digitais em uma imagem de algo que está sendo visualizado por meio de um dispositivo, como óculos inteligentes ou uma câmera de smartphone. Os óculos são frequentemente controlados por voz, deixando os usuários com as duas mãos livres”, escreveu ele.

Além disso, o especialista afirma também que o mercado de RA tenha um valor de US$ 5,91 bilhões em 2018 e que chegue a mais de US$ 198,7 bilhões até 2025. “A tecnologia naturalmente tem uma fortaleza no setor de videogames e entretenimento, mas um número crescente de fornecedores de manufatura, incluindo grandes fabricantes de equipamentos automatizados, está utilizando a tecnologia para fornecer a seus funcionários e clientes instruções práticas para operar máquinas, solucionar problemas e fazer reparos”, comenta.
 “Na verdade, 10% das empresas da lista Fortune 500 já começaram a explorar aplicações de compras e operações para RA.[2]A Gartner prevê que, até 2020, 20% das grandes empresas irão avaliar e adotar as soluções de realidade aumentada, realidade virtual e realidade mista como parte de sua estratégia de transformação digital”, completa.
FONTE: AGROLINK