set 28

Quem ganha com a digitalização do Brasil?

De redes sociais a carros elétricos, entenda as tendências da inovação. 12 destaques do relatório da Atlantico contam uma história que realça a importância crescente da tecnologia na América Latina.

Por Victor Marques, da CapTable Brasil

Os 12 pontos destacados abaixo, são dados da nova edição do Latin America Digital Transformation Report, feito pelo fundo de investimento Atlantico e mostram os efeitos da digitalização da América Latina e do Brasil. Confira:

1. O acesso a internet na América Latina continua em tendência de crescimento, impulsionando o crescimento das empresas de tecnologia. O Brasil tem 75% da população online – atrás dos EUA (90%) e da Alemanha (94%) – mas é o país com maior tempo gasto na internet: mais de 10h por dia.

2. Os aplicativos mais utilizados na América Latina ainda são liderados pelo WhatsApp – inclusive, os 4 primeiros da lista são todos do Facebook – mas o TikTok vem ganhando espaço e já é o sexto app mais popular na região.

As primeiras quatro posições mostram a dominância do Facebook na região. (Foto: Atlantico/Divulgação).

3. Os pagamentos também sofreram uma revolução recente possibilitada pela tecnologia: o Pix se tornou uma das maiores formas de pagamento entre pessoas no Brasil, principalmente entre os jovens.

Quanto mais jovens, maior a tendência de uso do Pix no Brasil. (Foto: Atlantico/Divulgação).

4. O crescimento da digitalização da LatAm fez com que as startups recebessem volume recorde – sem precedentes – de investimento. O número e valor agregado de unicórnios da região quase dobra a cada ano.

Já são 26 unicórnios em 2021 na região. (Foto: Atlantico/Divulgação).

5. As fintechs ainda lideram como segmento que mais recebe investimento – resultando em múltiplos unicórnios e evolução mais rápida do setor.

6. O e-commerce cresceu drasticamente durante a pandemia, o que impulsionou o crescimento das plataformas de e-commerce – como VTEX e Nuvemshop – que oferecem soluções de digitalização do varejo offline.

As vendas das lojas na Nuvemshop e na VTEX dão ideia do crescimento da confiança em lojas online. (Foto: Atlantico/Divulgação).

7. Magalu, Americanas e Mercado Livre dominam 64% das vendas de e-commerce na América Latina. O que eles têm em comum: são alguns dos players do varejo que mais realizaram M&As com startups para evoluir seus negócios.

+ Para conferir a materclass exclusiva de lançamento do report feita pela StartSe, clique aqui.

Magalu, Mercado Livre e Americanas dominam o e-commerce do Brasil. (Foto: Atlantico/Divulgação).

8. O Magazine Luiza cresceu suas vendas em 131% – um dos líderes de crescimento do e-commerce no Brasil.

9. A logística last-mile, um dos setores que registrou maior movimentação de aquisições por parte dos e-commerces, representa uma das partes mais caras dos serviços de entrega no Brasil.

Last-mile já representava, em 2019, 51% dos investimentos em entregas. (Foto: Atlantico/Divulgação).

10. Os varejistas brasileiros precisam ficar de olho: as empresas asiáticas já tomaram 4 lugares do pódio de apps de varejo mais utilizados no Brasil. Shoppee (#2), Aliexpress (#6), Wish (#8) e Shein (#10) já disputam pelos olhos dos consumidores do país.

11. eletrificação da frota brasileira começa a apresentar crescimento exponencial: de 2018 para 2020 houve crescimento de 5x no número de novos carros elétricos registrados no país.

12. Todo esse crescimento dos setores tecnológicos pode dar a impressão de que a América Latina já atingiu um platô – pelo contrário: a região ainda têm enorme potencial em comparação com outras regiões.

Mesmo com crescimento rápido, LatAm ainda possui muito espaço para conquistar. (Foto: Atlantico/Divulgação).

FONTE: https://app.startse.com/artigos/quem-ganha-com-a-digitalizacao-do-brasil