mar 18

Qualcomm diz que Brasil pode ser líder em IA na América Latina com auxílio do 5G

O 5G está cada vez mais mostrando o seu potencial. Já vimos muitas demonstrações onde ele é essencial e pode ajudar a elevar a qualidade de vida das pessoas a outro patamar, como o centro médico criado pela Samsung na capital da Coreia do Sul, exemplo que foi aplicado nos hospitais de Wuhan pela Huawei para conectar e garantir providências mais rápidas dos médicos.

O Brasil tem um enorme potencial graças às suas dimensões continentais e isso também abre a possibilidade dele se tornar um grande líder na aplicação da inteligência artificial na América Latina, mas somente se o 5G for implantado com eficiência e o acesso aos dados para essas aplicações for flexibilizado, segundo Francisco Soares, vice-presidente de relações governamentais da Qualcomm.

As aplicações para essas tecnologias são inúmeras: automatização do trânsito, residencial e comercial, melhorias na rede de produção das indústrias, prevenção de doenças e até mesmo desastres naturais como o rompimento de barragens e muito mais. Entretanto, como o nosso país tem proporções gigantes, a conexão rápida entre todas as áreas é essencial para o desenvolvimento pleno.

Soares evidencia que “5G é a conectividade que dará suporte para IA. Se não houver 5G, muitas das coisas que a gente imagina com IA não vão acontecer. A falta do 5G inibiria o desenvolvimento dessa tecnologia.” Entretanto, outros obstáculos ainda existem, como a Lei Geral de Proteção de Dados, que é uma coisa boa, mas limita muito o acesso da IA aos dados necessários para ela.

E como a IA pode alavancar muito o crescimento nacional, a Qualcomm até enviou uma nota para o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações onde ela explica que “uma estratégia de IA deve considerar essa lei e tentar alcançar uma estrutura reguladora que permita inovação e desenvolvimento.”

A Qualcomm ainda citou alguns exemplos de países onde a IA rendeu ótimos resultados, como a Alemanha, Colombia, México e Estados Unidos, que conseguiram flexibilizar o uso de dados para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos ao mesmo tempo que defende seus interesses. Áreas como a segurança, logística, educação e saúde seriam as principais beneficiadas.

Vale lembrar ainda que o Brasil deixa de receber muitos equipamentos de última geração por conta de não ter a nova rede instalada. Exemplo disso é a nova geração Galaxy S20, da Samsung, que chegou sem 5G por aqui. Renato Citrini, gerente sênior de produtos da Samsung no Brasil, explicou porque isso ocorreu em uma entrevista ao TudoCelular:

“O que acontece no Brasil é que a gente ainda não teve o leilão (de 5G) ainda no país, então a gente não traz aparelho porque não consegue fazer nenhum teste inicial, então a gente optou por trazer versões sem 5G para a linha Galaxy S20.”

Dessa forma é essencial que a rede 5G seja implantada o quanto antes para que as mais diversas áreas da economia tirem proveito dessa nova tecnologia ou então o país corre risco de ficar para trás na corrida tecnológica que vivemos hoje em dia, ainda mais que o 5G promete triplicar a velocidade da internet em países onde for implementado.

FONTE: TUDO CELULAR