jun 10

Qual o futuro das profissões na Nova Economia?

Profissões estão morrendo e novas estão nascendo. Pessoas estão se demitindo de seus empregos e gerando novos. As relações de trabalho estão se modificando e se automatizando. Qual o futuro do trabalho na Nova Economia? Você confere aqui.

A geração que toma a frente dos negócios agora pode ser chamada de project people. Grosso modo, são pessoas que trabalham de projeto em projeto, diferente do tradicional “construir uma carreira” fazendo a mesma coisa e melhorando dentro desse campo.

O professor autor Daniel Susskind fala muito sobre o futuro do trabalho em suas obras “O futuro das profissões” e “Um mundo sem trabalho”, e questiona muito o modelo de profissões com o qual estamos acostumados. Em um futuro próximo, depois de se formar em alguma profissão, as pessoas passarão a ter alguma “licença” para exercê-la, a qual terá um prazo de validade. Isto porque a tecnologia e modelos de gestão são muito voláteis.

Na Netflix, por exemplo, muitos funcionários não têm cargos pré-determinados, e sim conquistas atribuídas ao valor que geram na empresa. É mais fácil visitar sua sede no Vale do Silício e encontrar: “o homem que criou o catálogo inteligente” do que um cataloguista. Claro que isso não se aplica a todas as funções e profissões, mas essa atribuição é uma grande tendência na Nova Economia.

Que as relações profissionais sofrerão mudanças nos próximos anos, é um fato. E não podemos ignorar os desdobramentos disso em relação à tecnologia… será que as funções que não exigem muito da habilidade humana serão realizadas por robôs?

Isso não deveria nos causar medo, pois trata-se de um ciclo que se repete ao longo da história. Começamos na agricultura, depois fomos para a indústria, da indústria para a prestação de serviços e digitalização, e é bem provável que a robotização e automatização seja a próxima grande transformação das relações de trabalho.

As habilidades são sempre realocadas para manter a competitividade no mercado de trabalho, e sempre é revalidada de acordo com as transformações da tecnologia. Os robôs não vão competir com os humanos em vagas de empregos, pois novas vagas dependentes da inteligência humana serão criadas.

O papel das empresas que tendem à perpetuidade é saber quando automatizar uma função e como realocar talentos em novas atividades.

Esse é o assunto que abordamos no novo episódio do Podcast Organizações Infinitas, já disponível na íntegra na plataforma StartSe e em nosso canal do Youtube. Toda quarta-feira, às 17h, um episódio novo para você estar sempre por dentro do mundo dos negócios.

FONTE: https://www.startse.com/artigos/futuro-profissoes-nova-economia