mar 04

Qatar Airways se junta à RR para treinar mecânicos de avião usando realidade virtual

As previsões de mercado para o futuro da aviação continuam otimistas, com o número de passageiros aéreos quase dobrando até 2036. Com isso, cresce também a demanda por profissionais qualificados e de novas tecnologias para preparar esse pessoal. Pelo que se tem acompanhado, a realidade virtual chegou nesse meio para ficar.

Com base nessa tendência, a Rolls-Royce (RR) está investindo em formas de incluir a realidade virtual (VR) em seus programas de treinamento para as equipes de engenharia e manutenção, como parte de seu programa IntelligentEngine.

Em um teste, os engenheiros da Qatar Airways receberam treinamento em VR no motor Trent XWB da Rolls-Royce, que equipa o Airbus A350, em um programa coordenado pela equipe de Stuart Moss, estrategista de inovação em TI da fabricante de motores.

O Trent XWB é tão grande que precisa ser separado da aeronave antes que os engenheiros possam transportá-lo para manutenção e reparo, disse Moss ao The Engineering. “Esse processo leva alguns dias para garantir que você possa montá-lo novamente exatamente”.

Atualmente, os engenheiros recebem treinamento nessa tarefa complexa alguns anos antes de terem que realizá-la na prática. Então, a equipe decidiu usar a VR como uma maneira de oferecer a eles um curso de atualização na técnica, que pode ser tomado a qualquer momento.

Imersão

Usando os óculos HTC Vive VR, os engenheiros foram imersos no treinamento através de um programa de computador que usa visão, som e toque, para simular um trabalho de manutenção de motor em um ambiente virtual.

“Desenvolvemos uma versão VR totalmente imersiva”, disse Moss. “De fato, tudo o que você pode fazer na vida real é remodelado para o virtual, para que você possa desmontar o motor e remontá-lo, perfazendo um curso completo em VR”.

Anteriormente, um motor teria que ser transportado para Doha para ser usado no treinamento ou, alternativamente, a Qatar Airways teria que fornecer um motor de uma das aeronaves em serviço, resultando no risco de danos ao equipamento e a perda de um valioso tempo de voo.

“Agora podemos enviar um membro da nossa equipe de treinamento com um kit de RV em um pacote que cabe no bin de uma aeronave”, disse Moss.

A Rolls-Royce também está testando o uso de hologramas de motores nas salas de aula e a Realidade Aumentada para sobrepor informações técnicas sobre motores reais.

FONTE: AEROIN