nov 08

Pulseira detecta quando as mulheres estão no período fértil

A Ava reuniu inteligência artificial e pesquisa clínica para criar uma pulseira de rastreamento de fertilidade

  • A Ava Science Inc é uma empresa de saúde da Suíça que se concentra em tecnologias digitais inovadoras para mulheres;
  • A companhia reuniu inteligência artificial e pesquisa clínica para criar uma pulseira de sensor de rastreamento de fertilidade, que detecta os cinco dias mais férteis do ciclo de uma mulher em tempo real;
  • A pesquisa é um passo esperançoso em direção a um anticoncepcional mais natural que não prejudique a saúde feminina.

Inovar na área da saúde não é fácil. Em uma área no qual a combinação de sistemas, processos, software, hardware e decisões humanas rápidas significam vida ou morte, a inovação é difícil. Você não pode mudar tudo drasticamente, interromper processos para introduzir algo novo e reverter se não der certo.

Na outra ponta, em que os consumidores compram produtos para otimizar sua saúde e/ou prevenir doenças, o risco de falha de uma mercadoria não envolve risco de morte, o que cria espaço para mais testes práticos e, portanto, facilita a inovação. Há um grande aumento nos modelos de negócios B2C para produtos que previnem doenças e otimizam o bem-estar, e a linha entre saúde e condicionamento físico certamente tem se apagado. O recente registro de IPO da Peloton, de equipamentos para exercícios, é um bom exemplo disso.

A suíça Ava Science Inc é outra empresa de saúde que se concentra em tecnologias digitais inovadoras para mulheres. A Ava reuniu inteligência artificial e pesquisa clínica para criar uma pulseira de rastreamento de fertilidade, que mede o ritmo de pulso, a frequência respiratória e a temperatura, processa os dados e detecta os cinco dias mais férteis do ciclo de uma mulher em tempo real.

Um novo estudo publicado pelo “Journal of Medical Internet Research”, liderado por pesquisadores da Ava e que envolveu 237 mulheres e mais de mil ciclos menstruais, sugere que mudanças em múltiplos parâmetros fisiológicos durante o ciclo menstrual, coletadas simultaneamente por meio da pulseira, podem identificar com precisão os dias mais férteis do ciclo, com 90% de precisão.

Este é um nicho bastante controverso, pois o resultado desse tipo de detector envia duas possíveis mensagens à usuária: “Você está mais fértil, pode tentar engravidar”e “Você não é tão fértil, não irá engravidar”. A imprecisão nesse caso têm consequências muito diferentes nessas duas situações, como gravidez indesejada.

Um exemplo recente disso é a startup de saúde sueca Natural Cycles, que usa algoritmos aplicados à medição de temperatura e foi muito promovida como uma forma de contracepção não-hormonal e não-intrusiva. A empresa foi criticada pela Advertising Standards Agency (ASA) depois de comercializar seu aplicativo como um “anticoncepcional altamente preciso e certificado que se adapta ao ciclo menstrual único de cada mulher”, uma afirmação que um hospital sueco refutou após 37 abortos por conta do uso do aplicativo como método de contracepção.

Ainda assim, o novo estudo da Ava é um progresso bem-vindo. Em termos de precisão, 90% ainda está longe de 100%, mas lembre-se de a proposta é comunicar a fertilidade ideal, e não garantir contracepção. Porém, seria sensato concluir que o uso de múltiplos parâmetros fisiológicos para descobrir o período mais fértil é um passo esperançoso em direção a um anticoncepcional mais natural.

Como Nichi Hodgson disse para o “Guardian” no ano passado: “A popularidade do Natural Cycles mostrou que as mulheres estão prontas para algo que não perturbe seus hormônios, humores ou prazer. Se os algoritmos puderem prever a doença de Alzheimer antes dos médicos, e se o biohacking de nossos cérebros para otimizar o desempenho mental não for meramente material de ficção científica, então, certamente, haverá um papel para os produtos tecnológicos na prevenção da gravidez, o que proporcionará controle sobre nosso futuro reprodutivo”.

Para a cofundadora da Ava, Lea von Bidder, a publicação dos resultados dos testes clínicos da empresa demonstra seu compromisso de longa data com a pesquisa clínica em prol das mulheres: “A ciência é a chave para entender verdadeiramente a saúde feminina. A visão da Ava como uma empresa é se tornar uma companheira de longo prazo para as mulheres, ao fornecer insights científicos e baseados em dados em todos os estágios de suas vidas reprodutivas. Essa perspectiva é uma grande parte da razão pela qual publicamos nossos resultados: não apenas para demonstrar que nosso algoritmo é preciso, mas também para ampliar a crescente base de conhecimento científico que essa tecnologia oferece para a saúde feminina”.

Com produtos femtech (a indústria de tecnologia para mulheres) aplicáveis ​​a quase metade da população global, não é surpresa que a Apple tenha entrado nessa área. O novo aplicativo Cycle Tracking oferece às mulheres a capacidade de registrar informações importantes relacionadas aos seus ciclos menstruais e ver a previsão do próximo período e a época fértil, ao usar apenas o Apple Watch e/ou o iPhone. A função de registro diário permite a adição rápida de informações relacionadas ao ciclo menstrual, incluindo período atual, fluxo, sintomas e outros elementos de rastreamento de fertilidade. Embora não haja menção de inteligência artificial, aprendizado de máquina ou múltiplos parâmetros fisiológicos, o mercado é claramente grande o suficiente para outros recursos.

FONTE: FORBES