nov 18

Proptech brasileira Tabas é adquirida pela norte-americana de aluguéis flexíveis Blueground

Startup já havia sido investida pela empresa no início deste ano, quando levantou R$ 80 milhões em Série A. Valor da aquisição não foi divulgado.

proptech brasileira Tabas anuncia nesta quinta-feira (17/11) sua aquisição pela Blueground, rede global de locações flexíveis de média e longa duração. O valor da transação não foi divulgado. Este é o primeiro M&A realizado pela multinacional em 10 anos de história e a conclusão do negócio está prevista para o primeiro trimestre de 2023. A Tabas faz parte das 100 Startups to Watch 2022.

Fundada em 2020 por Leonardo Morgatto e Simone Surdi, a startup brasileira tem mais de 1.000 apartamentos totalmente mobiliados para moradias flexíveis de média e longa duração em bairros nobres de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília sob a sua gestão, com taxa de ocupação de 90%. A partir da aquisição, o plano é iniciar a internacionalização mirando na Cidade do México, com as operações programadas para começar no primeiro trimestre do próximo ano.

A Tabas fecha contratos de média e longa duração com donos de imóveis para cuidar do aluguel daqueles espaços, onde faz reformas para manter um padrão uniforme entre todas as unidades e cuida da manutenção do imóvel enquanto o contrato for vigente. Neste meio-tempo, a startup faz a gestão da locação, do relacionamento e da cobrança dos inquilinos e repassa os valores para os proprietários, cobrando um valor em cima de cada transação.

Em janeiro, a Tabas levantou uma rodada Série A de R$ 80 milhões, liderada pela Blueground, com a participação da Echo Capital e do investidor Nelson Queiroz Tanure, chairman da PetroRio. Na época, o valor de mercado da startup não foi divulgado. Anteriormente, a startup havia levantado R$ 20 milhões via dívidas, por Certificados Recebíveis Imobiliários (CRI), adquiridos pelo fundo imobiliário Iridium.

“Estamos de olho na América Latina há algum tempo, pois vemos um enorme potencial de mercado para aluguéis mobiliados e flexíveis. Desde nosso primeiro investimento na Tabas no ano passado, desenvolvemos imenso respeito pela equipe e pelo que eles construíram no Brasil. Com o melhor da nossa tecnologia e experiência em escalar o negócio, continuaremos trazendo o estilo de vida flexível para os mercados globais”, afirma Alex Chatzieleftheriou, CEO e cofundador da Blueground, em nota.

Em setembro, a startup iniciou a operação no modelo B2B para incorporadoras, fundos imobiliários e family offices para gerenciar empreendimentos inteiros, sendo a solução para trazer rendimento a ativos residenciais.

A Blueground comanda uma rede de quase 10 mil apartamentos prontos para moradia flexível. No primeiro momento, as operações seguirão independentes, com integração gradual ao longo de 2023. Em sua última captação, em setembro de 2021, quando levantou US$ 180 milhões em uma rodada Série C, a startup alcançou o valor de mercado de US$ 750 milhões.

Juntos, os portfólios das empresas marcarão presença em 29 cidades de 16 países, com estimativa de receita de US$ 650 milhões em 2023. A Blueground planeja expandir as operações para 50 cidades até 2025. “As visões da Tabas e da Blueground estão totalmente alinhadas. Estamos orgulhosos do trabalho que fizemos para chegar até aqui e entendemos que agora é hora de levá-lo para o próximo nível”, comenta Leonardo Morgatto, cofundador e CEO da Tabas, em nota.

FONTE: https://revistapegn.globo.com/startups/noticia/2022/11/proptech-brasileira-tabas-e-adquirida-pela-norte-americana-de-alugueis-flexiveis-blueground.ghtml