fev 06

Projeto reproduz em 3D monumentos históricos da cultura afro-brasileira

A iniciativa visa criar materiais pedagógicos acessíveis para crianças com ou sem deficiência

Para além dos livros, um projeto coordenado pelo professor e pesquisador Renato Frosch, da Universidade São Judas Tadeu, na capital paulista, pretende levar às salas de aula reproduções em 3D de diversos patrimônios históricos brasileiros, com ênfase na cultura afro-brasileira. Em um primeiro momento, a ideia é reproduzir o Largo da Memória, o monumento Mãe Preta, localizado no Largo do Paissandu, e dois elementos do Largo da Misericórdia que já não existem, a Igreja da Misericórdia e a Fonte Tebas, todos no centro de São Paulo.

A ideia surgiu da necessidade de apoiar educadores e escolas públicas na produção de materiais pedagógicos acessíveis a crianças com ou sem deficiência. “Na tradicional história do Brasil, a figura negra muitas vezes só aparece relacionada ao período da escravidão. Acreditamos que este material pode promover uma descolonização do currículo, ao suscitar outras discussões com relação aos hábitos, costumes, arquitetura e religião afro-brasileira”, afirma Renato.

Todo o material tátil produzido terá no máximo 50 cm, dimensão que possibilita a compreensão por uma criança cega. Ele também será trabalhado em mais de uma cor, garantindo o contraste necessário a um indivíduo de baixa visão. Os exemplares produzidos por financiamento coletivo serão doados a algumas escolas públicas, mas todos os arquivos serão disponibilizados na internet de maneira livre e sem custos, de forma que qualquer pessoa com uma impressora 3D poderá utilizá-los.

FONTE: CASA E JARDIM