jun 17

Programa seleciona startups em sete setores “verdes” para aceleração

Conexões Onda Verde, realizado em parceria com o fundo IPU – Water & Sanitation Venture Philanthropy, está com inscrições abertas até 26 de junho

Foco é encontrar startups com potencial de reduzir impacto climático (Getty Images/Getty Images)

Startups voltadas à aceleração de uma economia regenerativa e de baixo carbono, as “startups verdes”, podem participar do Programa Conexões Onda Verde, iniciativa que promove a criação de oportunidades de negócios com grandes empresas e fundos de investimento de impacto socioambiental. As inscrições estão abertas e vão até o dia 26 de junho. 

Realizado em parceria com o Fundo IPU – Water & Sanitation Venture Philanthropy, o Conexões Onda Verde é promovido pela Climate Ventures, plataforma de inovação especializada em conectar organizações, governos, investidores e empreendedores em busca de um futuro melhor para o clima. 

O foco da iniciativa é encontrar startups com potencial de redução do impacto climático e de geração de negócios verdes em sete setores-chave da economia: água e saneamento, agropecuária, florestas e uso do solo, indústria, energia, gestão de resíduos e logística e mobilidade. 

Até 20 startups serão selecionadas para que, ao longo de quatro meses, recebam treinamentos e mentorias preparatórias, além de manterem o relacionamento com empresas e investidores. Haverá também um prêmio de R$ 50 mil para aquela que mais se destacar. Durante todo o processo, as empresas e investidores poderão fazer parte de rodadas de negócios e do Demoday. 

O programa vem ao encontro do principal objetivo do Fundo IPU, a primeira iniciativa de Venture Philanthropy no Brasil ligada à causa da água e do saneamento. “O IPU busca fomentar o ecossistema de impacto socioambiental no Brasil, apoiando startups e organizações sociais que ofereçam soluções de água e saneamento, por meio de doações ou capital paciente e de uma aceleração customizada de acordo com os principais desafios de cada organização. Uma forma de promover avanços significativos no campo do impacto a acelerar a agenda do setor”, afirma Renata Ruggiero Moraes, diretora-presidente do Instituto Iguá, uma das organizações idealizadoras da iniciativa.                                      

“Como protagonistas no ecossistema de impacto, ocupamos uma posição que nos permite gerar conexões entre os principais atores desse universo, envolvendo desde as grandes empresas e investidores, até os empreendedores que estão entrando no mercado com novas ideias. Nosso objetivo é gerar oportunidades para que as startups verdes participantes do programa possam crescer e alcançar o próximo patamar de negócios, gerando receita e impacto positivo para o meio ambiente e para a sociedade”, afirma Daniel Contrucci, diretor da Climate Ventures. 

As empresas Ferrero, Itaú e Neoenergia e os investidores Positive Ventures, Mirova, MOV, Din4mo e VOX já confirmaram participação. 

FONTE: https://exame.com/bussola/programa-seleciona-startups-em-sete-setores-verdes-para-aceleracao/