maio 07

Produtores rurais aproveitarão potencial máximo de energia com usinas híbridas

Grupo Alexandria está construindo complexos combinados de energia solar e de biogás para abastecer operações no meio rural

 

A combinação das energias solar com a de biogás é o novo modelo de negócios que está sendo desenvolvido no País pelo Grupo Alexandria, especializado em projetos de geração de energia alternativa. Com capacidade para extrair o máximo do potencial de ambas as fontes – solar e compostos orgânicos – o modelo permite o máximo de aproveitamento da eletricidade gerada para abastecer operações no meio rural.

Segundo a empresa, na prática as usinas vão gerar eletricidade a partir de painéis fotovoltaicos durante o dia, enquanto os resíduos orgânicos serão transformados em biogás, que é armazenado em cilindros ou em grandes reservatórios, para ser usado nos períodos quando não há radiação solar, ou para abastecer caminhões e máquinas colheitadeiras, por exemplo.

Alexandre Brandão, CEO do Grupo Alexandria, destaca que as usinas poderão abastecer 100% do consumo de fazendas, agroindústrias e granjas ininterruptamente e de forma distribuída, por todo o período de funcionamento.

Ele também acrescenta que a usina híbrida vai potencializar benefícios já conhecidos, como menor custo por ser produzida no mesmo local de consumo, oferta constante também durante o período de entressafra, menor dependência de fontes externas em períodos de seca, com o benefício extra de aliviar os reservatórios, além de dar uma destinação ambientalmente correta para os resíduos orgânicos.

“O Brasil é um dos países que recebe a maior irradiação solar do planeta e que possui grandes propriedades rurais com alta produção de resíduos orgânicos. Assim, a introdução das usinas híbridas, é uma alternativa natural”, diz Brandão

Além de gerar eletricidade mesmo no período entressafras, a propriedade pode alugar parte da usina para terceiros, mantendo uma renda constante durante todo o ano. Neste caso, o Grupo Alexandria também faz toda a gestão dos contratos de locação, isentando o produtor rural de estrutura administrativa para esta atividade.

A construção de usinas híbridas, como a combinação de solar e biogás deve se tornar uma tendência global, principalmente por ser ambientalmente correta e possível de ser instalada também em áreas periféricas de grandes cidades, para aproveitamento do lixo orgânico na produção do biogás. Para falar mais sobre isso, Alexandre Brandão participará de uma palestra na Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática (COP 26), que ocorrerá na Escócia, em 2021. O evento que aconteceria em novembro deste ano foi adiado por conta da pandemia.

FONTE: portalsolar.com.br