jun 27

Possível cura para calvície usa impressão 3D

Pesquisadores da Universidade de Columbia criaram folículos capilares em laboratório que pode ser a salvação dos carecas

CALVÍCIE: IMPRESSÃO 3D PODE TRAZER SOLUÇÃO (FOTO: GETTY IMAGES)

Cientistas da Universidade de Columbia podem estar próximos de encontrar uma solução tecnológica para os problemas de calvície, trazendo nova esperança para os carecas. Uma pesquisa recentemente publicada demonstra uma nova maneira de criar folículos capilares – as estruturas que “guardam” as raízes dos fios de cabelo – a partir de moldes feitos em impressoras 3D.

Segundo o divulgado, essa é a primeira vez que folículos capilares são criados em condições de laboratório. Esses folículos são uma possível alternativa aos tradicionais procedimentos de transplante cirúrgico praticados nas últimas décadas, que redistribuem folículos de uma parte do corpo para outras.A técnica desenvolvida pelos cientistas envolve a criação de um inovador molde plástico, desenhado para similar um microambiente natural que estimula o crescimento de folículos capilares a partir de minúsculas extensões de meio milímetro de largura. “Técnicas de fabricação anteriores não foram capazes de criar projeções tão finas, esse é um trabalho que foi fortemente facilitado pelas inovações tecnológicas da impressão 3D”, explica Erbil Abaci, um dos autores do estudo, em entrevista ao New Atlas.

Essa possível cura para a calvície fica ainda mais interessante quando aliada a outra descoberta da Universidade de Columbia. Esse outro estudo descobriu um coquetel de novos fatores que pode efetivamente estimular o crescimento de cabelo por meio da implantação de células de folículos capilares humanos de voluntários nos moldes impressos em 3D.

Entre os ingredientes desse coquetel está uma molécula desenvolvida pelos pesquisadores especialmente para inibir uma condição chamada de JAK-STAT, que mantém as células-tronco capilares dormente – ou seja, inibindo essa condição, o crescimento dos folículos capilares volta a acontecer. “Basicamente, nós podemos criar uma fazenda de cabelos: uma série de cabelos projetados e modelados corretamente que podem ser transplantados para o couro cabeludo de um paciente. Assim, a cirurgia de restauração capilar não será mais limitada a um número específico de doadores de cabelo”, destaca Angela Christiano, autora principal desse estudo.No entanto, segundo o informado, os pesquisadores ainda apontam a necessidade de mais estudos para otimizar o processo antes que essa se torne uma solução que pode ser praticada clinicamente.

FONTE: ÉPOCA