set 15

Pix parcelado: fintech de crédito de ex-Uber recebeu o primeiro investimento da Salesforce em startups

Empresa tem parceria com 500 varejistas, permite o pagamento em quatro parcelas quinzenais sem juros e recebeu investimento de US$ 25 milhões

Pouco mais de 34 milhões de brasileiros não têm acesso a nenhum dos principais serviços financeiros, como cartão de crédito e conta corrente. A informação é do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e delimita uma parte do público que a fintech Pagaleve pretende atender.

A startup foi cofundada por Henrique Weaver, que foi gerente geral da Uber no Rio de Janeiro e diretor nacional da Oyo antes de entrar no mercado de crédito com uma companhia que, segundo ele, é uma empresa de parcelamento inteligente, que usa a tecnologia para considerar uma série de dados externos e internos de cada pessoa e realizar uma análise de crédito quase instantânea para os usuários. “Queremos conectar varejistas a consumidores oferecendo meios inovadores de pagamentos e uma experiência de compra simples e intuitiva”, diz Weaver.

A aprovação é feita a cada transação e não inclui nenhum tipo de juros. “Cobramos apenas uma taxa única de atraso de R$ 20”, detalha Weaver. Para ele, a tecnologia desenvolvida para o motor de risco é a principal barreira de entrada para as concorrentes. “Foi desenvolvida do zero e é diferente de tudo que já foi feito”, afirma Weaver.

Criada em 2021, a companhia já tem acordo grandes varejistas como Tok&Stok, Drogaria Pague Menos, Grupo Reserva, RiHappy e Mizuno e planeja chegar a 1.000 parcerias até o fim do ano.

A startup tem atuação B2B2C (business to business to consumer). Neste modelo, a empresa atende clientes por meio de outros negócios, mas também tem a possibilidade de interagir diretamente com os consumidores.

“Para os clientes finais, a empresa dá acesso a uma facilitação de pagamento, e para as varejistas, repassa o valor da compra já no próximo dia útil – diferente da maioria dos cartões de crédito que leva até 30 dias para pagar”, afirma Weaver.

O negócio chamou a atenção da venture capital da Salesforce do Brasil, que liderou a rodada de aporte de US$ 25 milhões, algo em torno de R$ 130 milhões, que a startup recebeu. Também participaram fundos como Entrée Capital, Founder Collective, OIF Ventures, Endeavor Scale-Up Ventures e Janeiro Energy.

“A Pagaleve está preenchendo uma lacuna no mercado, através de seu produto de Buy Now, Pay Later, diz Roberth Keith, Managing Director da Salesforce Ventures. “Estamos animados para ver como eles continuam a revolucionar o ecossistema de pagamentos e a se posicionar como uma fintech líder na América do Sul”.

Buy Now Pay Later (BNPL)

Comprar à prazo não é nenhuma novidade para os brasileiros, acostumados com o parcelamento e até com o tal ‘carnêzinho gostoso’ de varejistas. Fora do Brasil, esse formato de pagamento ainda engatinha, mas já ganhou um nome (e formato) novo: o Buy Now, Pay Later (compre agora e pague depois, em tradução livre).

O BNPL, como tem sido chamado, é um formato de pagamento que permite uma divisão do valor em diversas parcelas, mas difere do parcelamento no cartão de crédito e no crediário porque não precisa, necessariamente, estar vinculada à uma instituição financeira.

FONTE: https://www.infomoney.com.br/negocios/pix-parcelado-fintech-de-credito-de-ex-uber-recebeu-o-primeiro-investimento-da-salesforce-em-startups/