maio 11

PIX é melhor que TED e DOC para 83% dos brasileiros, diz pesquisa

Uma pesquisa realizada pelo C6 Bank/Ipec aponta que 83% acreditam que o PIX é melhor do que transferências feitas por meio de DOC ou TED. O levantamento, divulgado nesta terça-feira (11), mostra que 67% dos entrevistados gostariam de poder utilizar o método de pagamento também no varejo.

 O desejo de adoção da modalidade de pagamento em estabelecimentos comerciais é maior entre os jovens entrevistados, com idade entre 16 e 24 anos. Nesse grupo, o número de pessoas que quer usar o PIX é quase seis vezes maior que o que não quer adotar.

A resistência à novidade aumenta à medida que aumenta também a idade analisada: entre os consumidores com mais de 55 anos, por exemplo, essa relação é de dois para um.

O PIX foi lançado oficialmente em 16 de novembro de 2020. Crédito: Alexandre Tavares Silva/Shutterstock

Isso significa que para cada duas pessoas questionadas, apenas uma delas deseja pagar contas com PIX no varejo. O índice de aceitação é maior nas regiões Norte e Centro-Oeste, bem como nas cidades com até 500 mil habitantes.

Evolução do PIX

Até o momento, estima-se que mais de 70% dos consumidores no Brasil já tenham realizado alguma transação utilizando o recurso do Banco Central (BC). A tendência é de que transações bancárias tradicionais sejam substituídas cada vez mais.

A ascensão do PIX foi rápida mesmo nos primeiros dias de funcionamento. Lançado em outubro de 2020, já em novembro o sistema ultrapassou 21 milhões de chaves cadastradas.

Em abril deste ano, o PIX colocou o Brasil no ranking de oitavo país com maior número de transações instantâneas, segundo um relatório global da ACI Worldwide e GlobalData.

No mundo, a somatória de processamentos de pagamentos em tempo real ultrapassa a marca de 70,3 bilhões – ou 41% a mais na comparação com o ano anterior.

No Brasil, segundo dados do BC, o número de transações de Pessoa Física (PF) para Pessoa Jurídica (PJ) cresceu 148% no primeiro trimestre deste ano, passando de 14,1 milhões em janeiro, para 35 milhões em março. Apesar disso, a grande maioria das transações (77%) ainda ocorre entre pessoas.

Enquanto 77% das operações de PIX ocorrem entre pessoas, só 11% envolvem transferências de pessoas para empresas.

A pesquisa C6 Bank/Ipec foi realizada entre os dias 22 e 28 de abril deste ano, com 2 mil brasileiros das classes A, B e C, todos com acesso à internet. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

FONTE: https://olhardigital.com.br/2021/05/11/pro/pix-e-melhor-que-ted-e-doc-para-83-dos-brasileiros-diz-pesquisa/