jul 22

Piauí investe na construção de usinas solares visando a geração de energia limpa

Estado brasileiro, que já inaugurou outros complexos fotovoltaicos recentemente, tem novos investimentos pedindo passagem

O Estado do Piauí segue investindo forte na construção de usinas fotovoltaicas com o objetivo de aumentar a geração de energia limpa em sua matriz energética. Após dar início a operação de dois complexos solares nos municípios de São Gonçalo do Gurguéia e de São João do Piauí, entre os anos de 2020 e 2021, a região aguarda para iniciar a construção de novas obras outorgadas.

O estado irá construir, em Caldeirão Grande, um novo complexo de energia solar, batizado de Solar Caldeirão Grande 2. O empreendimento, com capacidade de 613 MW, tem o início das obras previstas para novembro deste ano, com um investimento estimado em R$ 2,5 bilhões. A previsão é de que o projeto seja concluído em 2024 e seja responsável por gerar, ao longo de três anos, aproximadamente 3,6 mil empregos diretos e indiretos.

A região também aguarda a implantação de um novo parque solar de geração de 400 a 500 MW, com previsão de entrada em operação até janeiro de 2025. A usina ficará localizada entre os municípios de Buriti dos Lopes e Bom Princípio do Piauí, no norte do estado. Ao todo, serão investidos cerca de R$ 1,5 bilhões e a construção deverá envolver a contratação de 1,1 mil trabalhadores locais.

Desde 2016, o Piauí vem avançando no que diz respeito à produção de energia solar, gerando emprego, renda e mais desenvolvimento na localidade. O estado abriga, por exemplo, uma das maiores usinas em operação da América Latina, o Parque Solar Nova Olinda, no município de Ribeira do Piauí.

Com quase um milhão de painéis fotovoltaicos instalados em 690 hectares, o complexo tem capacidade para produzir 600 GWh por ano e capacidade elétrica para abastecer mais de 300 mil famílias. Toda a energia produzida no parque é transmitida da subestação própria para a subestação da Chesf em São João do Piauí, por onde é fornecida para o sistema nacional de distribuição elétrica.

Atlas renovável

Além dos investimentos em usinas, o Governo do Piauí anunciou, no começo deste mês, que está trabalhando na confecção de um Atlas com informações referentes à energia solar no Estado, visando atrair investimentos para projetos já instalados ou que estão em andamento.

A ideia é fornecer dados sobre a irradiação solar e seu potencial, de modo que seja possível mapear o potencial da fonte fotovoltaica e planejar a construção de novas usinas na região. Além de físico, o documento também deve receber uma versão digital.

O projeto do Governo do Estado deve ficar pronto no primeiro semestre de 2022 e conta com o apoio do Seminper (Ministério de Minas, Petróleo e Energias Renováveis), em colaboração com a Fadex (Fundação Cultural e de Promoção à Pesquisa, Ensino, Extensão e Inovação).

FONTE: https://canalsolar.com.br/piaui-investe-na-construcao-de-usinas-solares-visando-a-geracao-de-energia-limpa/?fbclid=IwAR0z7O83UJwCwtvJsrMrQ-pWQ7PGlaiUDZFHeZ24Y6oo1oNZ01z4zMGxGgE