fev 25

Pesquisadores usam drones para identificar gestações em golfinhos

Um artigo científico publicado este mês na revista Remote Sensing in Ecology and Conservation descreve um estudo que encontrou uma maneira de identificar remotamente se golfinhos nariz de garrafa fêmeas de uma determinada área protegida estão grávidas. Esse monitoramento é possível usando fotos aéreas feitas com drones.

De posse das imagens aéreas, os cientistas podem medir a largura corporal dos cetáceos, descobrindo, dessa forma, quais fêmeas do grupo vão se tornar mamães.

Pesquisadores da Universidade de Aberdeen, no Reino Unido, em colaboração com cientistas do Laboratório de Robótica Marinha e Sensoriamento Remoto (MaRRS) da Universidade Duke, nos EUA, são os primeiros a criar uma forma não invasiva de descobrir se as golfinhos de nariz de garrafa fêmeas estão grávidas.

A importância de se identificar gestações falhas nos golfinhos

Segundo o estudo, com os drones é também possível coletar dados sobre gestações interrompidas, captando informações sobre a saúde dos animais e ajudando a identificar as causas desses abortos, como a escassez de alimentos.

A pesquisa se concentrou na população de golfinhos nariz de garrafa que vivem há mais de 30 anos na Área Especial de Conservação de Moray Firth – uma enseada do Mar do Norte, no norte da Escócia. Os pesquisadores compararam as imagens aéreas com informações de arquivo, incluindo as idades das fêmeas e se elas já tinham algum filhote.

“Anteriormente, só sabíamos se elas estavam grávidas se mais tarde fossem vistas com uma cria. Como resultado, só sabíamos de gestações bem-sucedidas, e não sabíamos quantas gestações falharam ou quantos filhotes morreram”, disse Barbara Cheney, pesquisadora da Escola de Ciências Biológicas de Aberdeen. “O objetivo principal do estudo foi explorar se poderíamos determinar remotamente o status da gravidez a partir de fotografias aéreas tiradas usando um drone”.

“Anteriormente, só sabíamos se elas estavam grávidas se mais tarde fossem vistas com uma cria. Como resultado, só sabíamos de gestações bem-sucedidas, e não sabíamos quantas gestações falharam ou quantos filhotes morreram”, disse Barbara Cheney, pesquisadora da Escola de Ciências Biológicas de Aberdeen. “O objetivo principal do estudo foi explorar se poderíamos determinar remotamente o status da gravidez a partir de fotografias aéreas tiradas usando um drone”.

Por meio das imagens aéreas capturadas pelo drone, os pesquisadores fazem as medições e análises necessárias para identificar gestações em golfinhos. Imagem: Barbara J. Chene, Julian Dale, Paul M. Thompson e Nicola J. Quick

Cheney diz que estudos semelhantes têm sido realizados com grandes baleias, mas, até onde se sabe, esta é a primeira vez que é feito para pequenos cetáceos. “Isso é importante porque o sucesso reprodutivo é fundamental para o crescimento de uma população, mas é particularmente desafiador medir populações selvagens. Ao usar fotos aéreas, isso nos permitirá monitorar rotineiramente as mudanças no sucesso reprodutivo nesta população protegida de golfinhos de nariz de garrafa”.

Falha reprodutiva tem relação com as condições ambientais

Depois das imagens, foram realizadas cinco investigações de campo, e um total de 64 golfinhos foram identificados. Apenas uma das 15 golfinhos cujo estado de gestação era conhecido foi incorretamente identificada como não grávida.

“Sabemos que a falha reprodutiva está ligada a condições ambientais severas, poluição e toxinas que ocorrem naturalmente, mas anteriormente só conseguimos estimar o impacto em populações onde os animais são fáceis de capturar ou amostrar remotamente”, explicou Cheney. “Coletar informações também é particularmente desafiador em cetáceos que são altamente móveis e passam a maior parte do tempo debaixo d’água”.

Para ela, esse novo estudo poderá fornecer uma riqueza de dados para melhorar ainda mais o conhecimento e a compreensão do sucesso reprodutivo em golfinhos de nariz de garrafa.

FONTE: https://olhardigital.com.br/2022/02/24/ciencia-e-espaco/pesquisadores-usam-drones-para-identificar-gestacoes-em-golfinhos/