maio 08

Pangea Parts, marketplace de peças agrícolas, lança nova plataforma gratuita

Startup abandonou modelo por assinatura e agora permite que produtores rurais comprem peças direto de fornecedores

New tractors on field in a row. Selective focus, side view.

A startup Pangea Parts lançou, durante a Agrishow, maior feira do agronegócio da América Latina, sua nova plataforma de marketplace de peças agrícolas. A agrotech conecta produtores do campo a diversos fornecedores de produtos do setor, diversificando a oferta para compradores e permitindo que os vendedores alcancem regiões mais distantes de seus negócios.

 Fundada em 2017, a Pangea Parts – cujo nome vem da ideia de conectar lugares que hoje estão distantes – começou a operar em meados de 2018. Com a nova plataforma, a startup espera escalar seu negócio. Isto porque o foco da empresa era trabalhar com o mercado B2B, cobrando uma assinatura para que empresas possam fazer cotação e encontrar os melhores produtos. Agora, a Pangea Parts foca na venda direta para o produtor rural, sem cobranças para o comprador.

André Lobo Faro, CEO e fundador da startup, conversou com a StartSe e explicou que a ideia foi solucionar dores tanto dos produtores rurais quanto de fornecedores e distribuidores de peças agrícolas. “Vi uma demanda muito grande dos revendedores para alavancar as vendas e desovar o estoque deles, além da sua região de atuação”, explica. “Por outro lado, o produtor tinha pouca opção de onde comprar. Normalmente, ele está situado no interior do Brasil e se limita a procurar os produtos na cidade dele”.

Agora, o produtor do campo pode entrar no site do Pangea Parts e pesquisar peças agrícolas de diferentes marcas e fornecedoras. No caso de ele precisar reduzir custos, pode filtrar os produtos por preço. Ou se a sua necessidade for receber a peça o quanto antes – por exemplo, se ele está com uma máquina parada por falta deste material – ele procura pelo menor tempo de entrega.

Nova plataforma, novos objetivos

Hoje, são cerca de mil produtos presentes no marketplace, através de parcerias que passam pela aprovação da agrotech. “Temos critérios para os fornecedores, porque a nossa reputação passa pelo serviço deles. Então há um controle de qualidade do produto e da entrega”, explica André. O empreendedor, que tem duas décadas de experiência no segmento agrícola, destaca a fabricante alemã ZF como uma das principais parceiras.

Para o comprador, não há nenhuma cobrança adicional por transação ou assinatura, e ele pode financiar o pagamento em até 1o vezes. Já o vendedor paga uma taxa por produto vendido, que cobre custos operacionais e é a principal fonte de receita da Pangea Parts.

A startup tem como meta escalar o negócio e chegar a 100 mil produtos à venda na plataforma até o fim deste ano e atingir 5 mil clientes. Para isso, vai investir em parcerias e marketing. Entretanto, o grande objetivo da Pangea Parts não tem a ver com números. “Vamos nos tornar referência no segmento: pensou em peças agrícolas, pensou em Pangea Parts”, planeja o CEO.

FONTE: StartSe