out 17

O robô das lavouras que colocou startup gaúcha na lista das mais atrativas do país

Empresa da Tecnopuc Startups que desenvolve produtos voltados ao agronegócio apareceu em ranking elaborado por aceleradoras, investidores e grandes empresas

O campo está alimentando o interesse do mercado em empresa gaúcha que figura no ranking das 100 Open Startups 2018. A Eirene, incubada na Tecnopuc Startups, apareceu na lista _ ficando na terceira posição entre as que atuam no ramo do agronegócio. Eduardo Marckmann, CEO da companhia explica como começou o negócio e quais as perspectivas pela frente. Criada há cinco anos, passou a voltar as atenções para o agronegócio em 2015. Com recursos obtidos via edital da Finep, desenvolveu o Eirobot (imagem acima), robô que terá como função fazer a pulverização das lavouras.

– É um veículo que faz essa tarefa de maneira autônoma – explica Marckmann.

Elétrico, tem ainda a vantagem de não emitir poluentes. E no processo de desenvolvimento do robô, a equipe percebeu que nem sempre a aplicação era necessária e criou outra ferramenta: o Savefarm. O bico pode ser acoplado em pulverizadores tradicionais, pode gerar economia de até 50%.

– O bico tradicional é cego. O nosso tem análise de imagens e emissão de raios infravermelhos. Com essas duas tecnologias, identificamos plantas, o tamanho delas e conseguimos pulverizar apenas no lugar necessário – explica o CEO.

Eirene / Divulgação

Ferramenta Savefarm foi desenvolvida no caminho da produção do Eirobot e pode ser utilizada em pulverizadora tradicionalEirene / Divulgação

Essa ferramenta será lançada no segundo semestre deste ano – o valor varia conforme o tamanho do pulverizador, mas gira em torno de R$ 200 mil. Já o robô está fase de teste de laboratório e deve chegar ao mercado no segundo semestre de 2018.

– A população mundial demandará mais alimentos e precisamos otimizar cada vez mais a produção. As agritechs estão resolvendo problemas – opina Marckmann, que conta com equipe de cinco pessoas.

FONTE: GAÚCHA ZH