ago 25

O que as startups que estão na Febratex estão propondo para as indústrias

Foto: Ana Paula Dahlke

Parte da programação da Febratex, uma das maiores feiras para a indústria têxtil e de confecção na América Latina, traz uma área dedicada às startups que tem como objetivo mostrar as principais inovações que elas propõem para as empresas do setor. A equipe do Economia SC conversou com algumas delas para saber quais são as soluções. Confira abaixo:

HÍBRIDO

Focada no desenvolvimento e performance de e-commerces, a Híbrido atua para agregar valor estratégico aos negócios. Segundo Charles Vargas, Sales Development Representative da empresa, o foco é alcançar os grandes players do mercado, principalmente do mercado B2B, promovendo uma metodologia ágil para o crescimento.

A empresa, que já atende nomes como Altenburg, Havan e Queensberry, busca potencializar os resultados digitais dos clientes por meio de lojas virtuais lucrativas, apostando na otimização, estratégias de growth, branding e SEO.

SISGETEPE

Há dois anos promovendo a tecnologia dentro do setor têxtil, a Sisgetep traz para o mercado um software de gestão de tempo que promete melhorar a produtividade e facilitar o acompanhamento do fluxo de produção.

Com mais de 300 clientes em Santa Catarina e São Paulo, o CEO da empresa, Sandro José Tavares, explica que, por meio da solução, é possível acompanhar o controle operacional, financeiro, fiscal e diversos outros indicadores.

O principal destaque do produto é o acompanhamento do custo de minuto, que permite aos gestores identificar o tempo de produção e balancear a operação de acordo com as metas.

SHAPE-U

Para a Febratex, a Audaces apostou no lançamento de um novo produto: a Shape-U. Por meio de um sistema integrado, e-commerces poderão permitir que seus consumidores meçam em tempo real qual o melhor tamanho de produto a ser escolhido.

Para o diretor de novos negócios, Jorge de Paula, esta é uma maneira eficaz para que os negócios possam aumentar as vendas ao mesmo tempo em que aprimoram a experiência do usuário, promovendo a confiança na hora de comprar.

Com informações de tamanho, idade e medidas, o próprio sistema já sugere ao cliente o tamanho ideal, além de fornecer à empresa indicadores valiosos para o acompanhamento dos consumidores.

ATENDARE

Centralizando as informações, a Atendare busca unificar as equipes e processos de vendas em um único lugar. A plataforma conecta CRM, automação de venda e  marketing, gerando análises e relatórios em tempo real sobre a operação.

De acordo com a CEO, Katiuscia Schroer, a solução promove 62% mais produtividade e 30% mais vendas. Para ela, o grande diferencial da é o processo de otimização das vendas complexas, que garante mais inteligência e agilidade para os processos das empresas.

FIBERLINK

Tecnologia e têxtil, essa é a aposta da Fiberlink para o mercado. Desenvolvendo uma combinação inovadora de fios, a empresa aposta na maior circularidade e durabilidade das roupas. Fernando Marin, CEO da Fiberlink, explica que, mais do que a duração, os fios causam 500 vezes menos impacto ambiental.

Por meio da tecnologia e estudos científicos avançados, a empresa criou o primeiro vestido de milho do Brasil, feito a partir da folha que envolve o legume e aposta em duas vertentes do negócio: a Biocell, que fornece fios 100% de fontes naturais, e a Loopcell, que mescla origens sintéticos com naturais.

AMBISIS

Facilitar e organizar a gestão empresarial é o objetivo da Ambisis, que, por meio de um software, busca tornar as rotinas de indústrias e consultores ligados ao universo ESG mais fáceis e ágeis. Com cinco anos no mercado, a empresa já impactou mais de 9 mil negócios.

Segundo Caroline Lazzari, que faz parte da equipe comercial da Ambisis, a solução garante o incremento de, no mínimo, 30% de produtividade. Ao mesmo tempo, a startup também busca proporcionar mais segurança para o acompanhamento de prazos, que podem ser automatizados.

FONTE: https://economiasc.com/2022/08/24/o-que-as-startups-que-estao-na-febratex-estao-propondo-para-as-industrias/