fev 10

O FUTURO DAS ENTREGAS: A UPS E SUAS FROTAS VANS ELÉTRICAS E DRONES

O mercado das entregas tem se rendido aos veículos elétricos e/ou autônomos. Aqui mesmo, no InovaSocial, já falamos algumas vezes sobre como estas tecnologias estão caminhando no mercado. Os textos “Digit: O robô inteligente que faz entregas com veículos autônomos” e “iFood anuncia robôs autônomos e soluções elétricas para 2020” mostram algumas das soluções que estão sendo estudadas e implementadas no Brasil e no mundo. A última novidade neste mercado mostra que a UPS está se preparando para o futuro que se aproxima. Para isso, a empresa fez 3 anúncios importantes.

Em um projeto piloto, a UPS anunciou que está trabalhando com a Waymo, subsidiária da Alphabet (conglomerado do Google), para utilizar as minivans autônomas da empresa de tecnologia em entregas no Arizona, EUA. As minivans, modelo Chrysler Pacifica, não serão totalmente sem motoristas (a Waymo afirmou que manterá motoristas treinados no banco da frente do veículo, mas apenas para monitorar as operações). Apesar de ser um projeto em fase de testes e bem longe dos centros urbanos, tanto Waymo, quanto UPS, afirmam que este é “um plano de longo prazo” entre as empresas.

A parceria entre as duas empresas não é algo exclusivo. A UPS anunciou em agosto de 2019 a participação minoritária na startup de caminhões autônomos TuSimple, e – desde de maio – tem transportado cargas entre Phoenix e Tucson, no Arizona. A iniciativa é uma forma da UPS antecipar movimentos do mercado, onde tem visto a entrada de concorrentes vindo da área de tecnologia, como a Amazon, que tem perdido contratos com a FedEx e a própria UPS, por estar criando a sua própria rede de entregas.

Outro anúncio feito pela UPS é a renovação da sua frota por 10 mil vans elétricas da britânica Arrival. As empresas já são parceiras desde 2016 e, recentemente, a Arrival recebeu US$ 110 milhões de investimento da Hyundai e Kia (atualmente a empresa britânica é avaliada em US$ 3.4 bilhões). Os novos modelos, da geração 2.0, não foram especificados pela UPS, mas a ideia é que elas funcionem como pequenas centrais de distribuição, autossuficiente para atender comunidades locais.

O último anúncio da UPS é o início da fase de testes para entregas por drones. O UPS Flight, embora focado entregas teses e em pequena escala, já recebeu autorização do governo americano para operar como “companhia aérea de drones”. De acordo com a empresa, primeiramente, esta certificação será usada para construir uma rede de distribuição por drones para hospitais dos EUA, começando em San Diego.

FONTE: iNOVA SOCIAL